5 dicas para usar a tecnologia no dever de casa dos alunos!

Acompanhando as transformações tecnológicas e sociais, o processo educacional também se remodela dia a dia. A lógica de ensino e aprendizagem se mostra cada vez mais contínua e integrada, de forma que a sala de aula não mais fica restrita ao espaço físico escolar: a Educação acontece também fora dela.

Muito disso se dá devido à inserção das tecnologias no dia a dia das instituições de ensino. Professores e alunos — hoje em dia todo mundo está conectado, por isso é importante que as práticas educacionais assumam novas conformações, que estejam de acordo com a era em que vivemos, a digital.

Portanto, por parte das escolas e dos educadores, é preciso criar um planejamento pedagógico que considere as características das novas gerações: são pessoas conectadas, ativas, que têm acesso fácil às informações por meio da internet. Saber como usar a tecnologia a favor da educação e educar na era do aprendizado contínuo são os grandes desafios.

Há várias iniciativas pedagógicas que podem estimular a educação e tornar o aprendizado um dever de casa constante, e a escola deve ser uma grande incentivadora disso.

Professores: o que fazer?

Professores sempre tiveram papel fundamental na formação não apenas educacional, como também pessoal, de seus alunos. A relação que se cria na rotina escolar é forte e muito importante, por isso, deve ser igualmente saudável e amigável — com os estudantes, é claro, e também com seus pais e/ou responsáveis.

A interação entre escola e família contribui bastante para um processo pedagógico de qualidade. Estabelecida uma boa relação, todas as partes ganham confiança.

É hora, então, de deixar claro aos pais o modelo de ensino da escola e os recursos que são utilizados em sala de aula — trabalhos, avaliações, aplicativos, dinâmicas, etc. O uso das tecnologias deve ser um capítulo à parte, porque, além de muito relevante ao contexto pedagógico atual, pode levantar alguns pontos delicados que merecem ser discutidos e esclarecidos.

Ponto para a tecnologia!

Uma boa maneira de deixar os pais confiantes é promover reuniões para apresentar relatórios de desempenho e estatísticas que comprovem como a tecnologia pode ser uma boa aliada. É importante ressaltar o quanto as EdTechs contribuem para a especialização dos professores, o desenvolvimento de habilidades para os alunos e a atualização das metodologias didáticas.

As vantagens do uso das tecnologias são algo que deve ser constantemente passado também aos estudantes. Desde o uso consciente dos aplicativos, passando pela organização do tempo de estudo, até a apresentação de novas plataformas e banco de exercícios — eles precisam conhecer e dominar bem o material com o qual estão lidando.

De várias maneiras os professores podem despertar o interesse dos alunos em aprender no mundo online. Levar para sala de aula exemplos práticos que conversem com a realidade das crianças e adolescentes, evidenciando tudo que é possível com as tecnologias educacionais. Confira algumas dicas:

1. Sala de aula invertida

A metodologia da sala de aula invertida consiste em incentivar o aprendizado do aluno em casa, fazendo pesquisas e exercícios, para que o momento em sala de aula seja para tirar dúvidas. Seguindo esse modelo, o aluno desenvolve maior autonomia para estudar e acessar a informação, chegando à sala de aula já com embasamento prévio do que será trabalhado e aproveitando melhor o tempo do professor.

 

2. Visita a museus interativos

Graças à tecnologia, não é mais preciso viajar o mundo para conhecer museus e as histórias neles guardadas. Várias instituições disponibilizam uma visitação interativa feita virtualmente! Alguns exemplos são o Museu Imperial, em Petrópolis – RJ, a tradicional Pinacoteca de São Paulo; e até mesmo o Museu do Louvre, em Paris.

3. Games

Jogos educativos são ótimas ferramentas para engajar os alunos no aprendizado. Propor desafios, dinâmicas e brincadeiras com fins pedagógicos fazem a turma aprender sem nem perceber!

4. Vídeo aulas

Aulas gravadas são uma forma de transmissão de conhecimento bastante eficiente, já que ajudam a esclarecer e a fixar o conteúdo, respeitando o tempo do aluno e não restringindo o momento de estudo ao espaço da sala de aula.

5. Exercícios online fora da escola

Esse é um dos principais eixos a serem trabalhados. Mais do que dever de casa e trabalhos, um bom processo de aprendizagem inclui uma rotina diária de estudos e exercícios, de forma a fixar o conteúdo e esclarecer possíveis dúvidas.

Buscar exercícios online e navegar pela web devem fazer parte do cotidiano dos alunos. São formas de complementar e ir além do que é visto em sala de aula. Nesse momento extraclasse, os estudantes podem ter suas próprias reflexões. Aprende-se mais, ao mesmo tempo em que desperta a curiosidade e estimula a autonomia.

E não apenas exercícios online são recomendáveis: existe uma série de jogos e aplicativos com finalidade educativa. O segredo é saber inseri-los com responsabilidade no plano de ensino.

A internet já é a maior fonte de buscas do planeta. Como fazer dela um instrumento de aprendizagem é algo que deve ser trabalhado de maneira integrada entre escola, diretores, professores, alunos e pais. Outro ponto crucial é garantir que os professores estão capacitados e que todos os alunos, sem exceção, têm acesso a recursos tecnológicos.

Se assim for, todo mundo tem a ganhar, principalmente os alunos — que agora, mais do que nunca, assumem uma posição mais ativa no processo de ensino-aprendizagem: não apenas recebem as matérias e as reproduzem em provas. O investimento nessas práticas e na estrutura que elas demandam é um aspecto que deve ser considerado pelas instituições.