3 TEDs de educação para te inspirar na sala de aula

8 de setembro de 2015
5 TEDs de educação para te inspirar na sala de aula

A sigla TED vem das iniciais de Tecnologia, Educação e Design. O projeto já entrou na casa dos 30 anos – começou em 1984 após uma conferência na Califórnia, Estados Unidos, que reuniu especialistas nestas três áreas. De lá para cá e, sobretudo com o desenvolvimento da internet, o TED chegou a um formato consolidado: palestras sobre diversos temas inspiradores de 15 minutos de duração, em que o convidado compartilha alguma história de vida ou fala sobre sua área de atuação.

 

Apresentamos 3 TEDs para te inspirar – seja no uso da tecnologia dentro ou fora da sala de aula, na motivação de seus alunos ou na busca por melhores ferramentas de avaliação para a sua turma. O importante aqui é pensar a educação de uma forma diferente ao qual estamos acostumados.

 

  1. O vídeo reinventando a educação

 

Não poderíamos começar a falar sobre TED e educação sem citar uma das tendências do ensino no século XXI: o uso de vídeos. E é sobre isso que fala o professor norte-americano Salman Khan, em uma palestra de 2011. Ele começou a gravar vídeos para ajudar seus primos – à distância – com algumas matérias de matemática e viu que a educação 2.0 podia utilizar dos vídeos como uma ferramenta de ajudar cada vez mais pessoas. Montou a Khan Foundation e disponibiliza por lá milhares de materiais, que vão desde o ensino da álgebra até história da arte. Ah, há também conteúdos para o ensino específico para o ENEM.

 

O vídeo reinventando a educação

 

Dois anos depois de participar desse TED, o professor Salman Khan veio ao Brasil para firmar parcerias com o governo federal e a Fundação Lemann. Com a União, o acordo era para ajudar no Pacto Nacional pela Educação na Idade Certa, cujo foco são os anos iniciais da educação básica. Já a Fundação Lemann quer traduzir os vídeos de Khan para levar a 200 escolas públicas de São Paulo.

 

2. Feedback com uma mãozinha da tecnologia

 

Bill Gates não é só o homem mais rico do mundo ou o fundador da Microsoft, mas também um estudioso em educação. Um levantamento feito pela Fundação Bill e Melinda Gates mostra que uma das maiores desvantagens no ensino norte-americano é a falta que os professores têm de um feedback sobre seus trabalhos. Algo que os pudesse ajudar na avaliação de como dão aula, transmitem conhecimento aos alunos e como fazer para melhorar.

 

Em algumas regiões da China, por exemplo, os educadores têm contato direto com seus mestres e se reúnem semanalmente para refletir sobre o processo de aprendizagem. Para Gates isso está diretamente ligado ao fato de que os chineses dessas regiões lideram os rankings de aprendizado em áreas como ciência, linguagens e matemática, por exemplo.

 

Feedback com uma mãozinha da tecnologia

 

Em sua palestra, Bill Gates propõe que a tecnologia pode ajudar os próprios professores a darem feedbacks a eles mesmos. Um exemplo é o uso de câmeras para gravar as aulas presenciais, as quais podem ser avaliadas pelo próprio docente horas depois. A tecnologia pode ajudar, ainda, na elaboração de um diagnóstico mais rápido e preciso sobre a situação da sua classe, o que confere dados precisos para que os professores possam traçar um feedback ainda mais fiel sobre seu trabalho em sala de aula.

 

Uma dessas ferramentas é Prova Fácil na Web, desenvolvido pela Starline, uma empresa brasileira referência em tecnologia para a educação. Com ela, os professores podem criar e gerenciar provas de múltipla escolha a partir de seus smartphones. O aplicativo utiliza a câmera do aparelho para “escanear” a página de respostas dos alunos, conferindo automaticamente seu índice de acerto e a nota que lhe cabe. Este vídeo explica como funciona.

 

3. O que estamos aprendendo com a educação online

 

Uma pergunta simples: um professor de uma determinada universidade que dá aulas para 400 alunos por ano demoraria quanto tempo para atingir 100 mil estudantes em sua sala de aula? Acertou quem respondeu 250 anos, ou seja, um número humanamente impossível. A partir desse cálculo a professora Daphne Koller pretende convencer da utilidade do ensino online. Grandes professores de grandes universidades podem ensinar à distância um grande número de alunos.

 

O que estamos aprendendo com a educação online

 

Com essa ideia a educadora montou a Coursera – uma plataforma que reúne cursos online ministrados por professores das melhores universidades do mundo. O objetivo é ampliar a oferta de ensino de qualidade a quem não pode pagar, além de alcançar pessoas em diversos países mundo afora. Hoje, a ferramenta possui mais de 14 milhões de alunos, oferece quase 1.300 cursos e tem 121 parceiros espalhados pelo globo. Se você está interessado em um determinado tema é bem provável que esse assunto seja objeto de um curso online. Listamos alguns na área de educação:

Ah, a aula para 100 mil estudante realmente aconteceu. Mais de uma vez, aliás, e, sempre, por meio dos cursos online. O professor Peter Novig explica um pouco mais sobre esse fenômeno neste vídeo do TED.

 

manual do professor moderno