Educação do século XXI: como avaliar um aluno online

10 de dezembro de 2015
como avaliar um aluno

Uma das tendências para a área de educação no século XXI é pensar em como ensinar e aprender em novos formatos, além do modelo de ensino tradicional que se consolidou no século passado e sob o qual fomos acostumados. Sob essa perspectiva, utilizar a internet como ferramenta que conecta alunos e professores tornou-se fundamental. Os números não deixam dúvidas sobre a viabilidade de garantir maior abrangência ao ensino a partir da internet. Ainda que exista uma enorme desigualdade no acesso à rede no Brasil, metade da população brasileira está conectada.

Um levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013, mostrou que 49,4% dos brasileiros com mais de 10 anos – ou seja, 85,6 milhões de pessoas – são usuários de internet.

Olhando para este cenário, não é de se espantar que o caminho traçado para a evolução de diversas áreas leve à utilização da internet. Inclusive no caso da educação.

Olhando para o ensino, a internet trouxe, basicamente, duas vantagens importantíssimas: a primeira, de que é possível expandir a lógica da sala de aula, atingindo uma multidão de pessoas a partir do compartilhamento do conhecimento de um único professor, como uma classe estendida. A outra vantagem é que incorporar o online para o ensino traz velocidade, aproxima docentes e professores e racionaliza processos que demoravam muito tempo para serem concluídos. Vamos ver o que mudou com a internet na educação?como avaliar um aluno

Uma sala de aula com milhares de alunos

Nos últimos anos, uma nova modalidade de ensino começou a ser formatada. A ideia principal era explorar ao máximo a capacidade da internet em aglutinar pessoas em torno de um mesmo tema, acabando com a noção de que a presença física é imprescindível. A partir do momento em que pesquisadores e educadores pensaram em um modelo que extrapolasse o limite da sala de aula, a educação se reinventou.

O ensino à distância, ou e-learning como veio a ser chamado, criou uma espécie de classe virtual, onde professores e alunos se interagem – não no face a face, mas por mensagens, áudios ou vídeos. O modelo pode variar conforme os cursos oferecidos mas, em geral, o docente grava um vídeo sobre um tema específico e disponibiliza leituras complementares ao assunto. Se o aluno tiver uma dúvida, pode enviar uma pergunta ao fórum. Como não é necessário que toda a classe e o professor estejam online ao mesmo tempo – aliás, essa é a principal vantagem do ensino à distância -, o docente pode responder no fim do dia a um questionamento feito na hora do almoço, por exemplo.

O ensino á distância ganhou uma nova roupagem nos últimos anos, com a invenção dos MOOCs (sigla em inglês para Massive Online Open Course, o que significa Cursos Online, Abertos e Massivos, em português). Essa modalidade de ensino à distância, que é uma das grande tendências da educação no século XXI, elevou a capacidade de ensino para verdadeiras multidões. Grandes universidades, verdadeiros berços de produção de conhecimento de diversas áreas, como Harvard, MIT e Stanford, têm visto no MOOC uma possibilidade de expandir conhecimento a milhares de pessoas de diversos países ao redor do mundo. Mas não é só na difusão do conhecimento que a educação encontrou funcionalidade na internet. Outro aspecto é a celeridade e a economia de tempo, essenciais na rotina de professores, alunos e instituições de ensino.

como avaliar um aluno

Provas e exercícios online: ferramentas poderosas para avaliar seus alunos

Quem trabalha na área da educação sabe que se não houver planejamento e organização, um tempo precioso é desperdiçado entre atividades essenciais no dia-a-dia. Há uma lógica complicada na dinâmica que compreende o trabalho em sala de aula e fora dela. Avaliar os alunos, por meio de provas ou exercícios, requer pensar no conteúdo da prova, na aplicação em sala de aula e na correção dos testes. Essa última etapa requer, na maior parte das vezes, gasto de tempo extra já que as pilhas de testes são muitas vezes levadas para casa e corrigir uma por uma leva um tempo grande. Isso, até o momento em que a educação descobriu que a internet também poderia ser de enorme utilidade para encurtar o gasto de tempo neste processo.

O SGP – Sistema de Gestão de Provas, criado pela empresa brasileira de tecnologia em educação, Starline é um software que usa o online para ajudar o professor no processo de correção de provas e exercícios online. O software permite que docentes criem uma avaliação com questões de múltipla escolha e o próprio sistema corrige as respostas marcadas pelo aluno em questão de segundos. O professor elabora um teste com o número de questões que achar necessário, envia por email para que os alunos respondam em casa e, ao receber a folha de respostas na sua caixa de entrada, aciona o programa, que corrige as respostas com base no gabarito oficial já preenchido pelo docente. Pontuamos outras vantagens do SGP.

  • Biblioteca de questões: Você pode gerenciar um banco de questões conforme o tema e a dificuldade de cada uma delas, permitindo a elaboração de provas diferentes mas com o mesmo nível de exigência;
  • Gestão de provas: Formate e diagrame os seus próprios testes, de acordo com a sua necessidade;
  • Avaliação: Após a correção dos testes, feita em segundos, obtenha relatórios personalizados de um determinado aluno ou classe;
  • Integração e segurança: Você pode integrar o sistema utilizado na sua escola com o utilizado para elaborar suas provas, tudo isso em um ambiente online e seguro.

Faça simulados com as provas online

Outra vantagem é que o software pode ser utilizado para produzir provas online, com o mesmo método explicado acima. Esse método é usado por escolas, cursinhos e professores para testar alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Isso porque, como o SGP permite que você gerencie um banco de questões, é possível escolher as que vão integrar os simulados de acordo com o nível de dificuldade que é cobrado no principal exame de acesso ao ensino superior no país. Com os resultados dos testes dos alunos em mãos, o professor pode traçar gráficos de comparação, ver que temas ou conteúdos merecem um destaque maior dentro da sala de aula para que os erros não voltem a se repetir em testes futuros e, ainda, analisar como anda o rendimento de cada estudante.

Você se identificou com as facilidades que a internet pode trazer ao seu dia-a-dia em sala de aula (e fora dela)? Baixe grátis o noso ebook “Manual do Professor Moderno” com mais dicas sobre ensino e a integração com a modernidade.

uso do celular na escola