Como corrigir provas? Conheça as melhores práticas

21 de julho de 2020

Entenda qual é a melhor forma de lidar com essa atividade

Se alguém lhe perguntar como corrigir provas, provavelmente você achará um pouco estranho, já que a pergunta parece intuitiva. Porém, na verdade, há uma carga muito grande envolvida nessa tarefa, a qual atinge até mesmo (e diretamente) o lado emocional dos alunos.

Métodos mais tradicionais de correção, como um “X” para as respostas erradas e um “C” alongado para as certas, bem como o uso de caneta azul ou preta para as corretas e vermelha para as erradas, podem ser complementados ou substituídos por outras técnicas e práticas mais apropriadas.

A questão, inclusive, não fica apenas no campo da opinião pessoal, pois já foram feitos estudos que mostram como há influências diretas entre a forma com a qual a correção é feita e como isso é recebido pelos alunos.

Continue conosco para aprender mais sobre o assunto e entender o que pode ser feito para melhorar a realização de uma das principais atividades nos processos avaliativos.

Como corrigir provas pode afetar o emocional dos alunos?

Como corrigir provas pode afetar o emocional dos alunos?

Um dos fatores foi o uso de caneta vermelha quando os alunos não concordam com a nota e os comentários dos professores, o que trouxe sentimentos negativos.

É isso o que se constatou por meio do estudo “Seeing red: Quality of an essay, color of the grading pen, and student reactions to the grading process” (Enxergando vermelho: qualidade de uma redação, cor da caneta avaliativa e as reações dos alunos ao processo de avaliação), publicado no The Social Science Journal.

Participaram 199 estudantes universitários e cada um recebeu quatro versões de uma redação previamente avaliada por um professor desconhecido. As avaliações foram consideradas como de alta ou baixa qualidade, sendo que algumas foram escritas em vermelho e outras em azul.

Foi solicitado aos estudantes que lessem a redação e os apontamentos dados pelo instrutor e, depois, classificar como eles se sentiram sobre o que o instrutor escreveu, além de sugerir a nota que eles próprios teriam dado à redação. Também foi perguntado a eles o que sentiram sobre o professor que fez os apontamentos.

Depois de expor suas opiniões, cada um recebeu um questionário que tinha como objetivo trazer dados mais concretos aos pesquisadores.

Ao analisar os resultados, descobriu-se que os voluntários aparentemente não foram impactados pela cor da caneta utilizada quando eles concordaram com a nota e os comentários do instrutor. Porém, quando eles discordaram, houve diferenças evidentes, geralmente negativas.

Quando os comentários dos professores foram escritos em vermelho ao invés de azul, os voluntários julgaram que eles foram mais severos, o que os levou a dar uma avaliação menor.

Em geral, os voluntários não aparentaram julgar a qualidade dos comentários de maneira diferente, já que seus sentimentos negativos foram direcionados à pessoa que escreveu aqueles apontamentos quando eles estavam em vermelho.

Dukes e Heather, os pesquisadores, teorizaram que o uso da caneta vermelha na correção é similar a um e-mail escrito em letras maiúsculas, pois se assemelha a gritar com aquela pessoa. Logo, naturalmente, quem foi afetado se sente mal por isso e geralmente responde com raiva ou tristeza.

A caneta vermelha também foi algo avaliado por eles como capaz de enfurecer os alunos e enfraquecer as relações entre estudantes e professores, logo provavelmente atingindo também a qualidade da aprendizagem.

Enfim, a sugestão foi de utilizar um tom de azul para a correção das provas e avaliações.

Isso, porém, é apenas um aspecto que mostra como corrigir provas possui um impacto maior do que pode aparentar em um primeiro momento. Portanto, é fundamental olhar para essa questão com carinho e atenção, já que ela é capaz de influenciar até mesmo na qualidade da aprendizagem e dos relacionamentos.

Confira também: 10 dicas para economizar tempo com a correção de prova

Como corrigir uma prova da melhor maneira possível?

Hoje em dia, com tanto compartilhamento de conhecimento, estudos e testes práticos, querer se ater ao que era praticado no passado não é o melhor dos cenários, pois pode trazer resultados tão negativos quanto os que vimos anteriormente.

Algumas dicas importantes e que podem te ajudar a oferecer uma correção de provas relevante e apropriada para a avaliação da aprendizagem são as seguintes:

  • Evite caneta vermelha. Apenas reafirmando, é melhor deixar essa cor de lado e optar por outra para as correções manuais, como diferentes tonalidades de azul, por exemplo.
  • Avalie apenas o que é realmente necessário. Se o aluno escreveu errado o nome de uma molécula em uma prova de biologia, mas sua resposta está correta, não é justo tirar pontos por conta de uma questão ortográfica. Considere a questão como certa e deixe um comentário sobre aquela palavra, indicando qual é a forma correta de escrever. O mesmo se aplica a outras áreas do conhecimento.
  • Lembre-se que a correção também pode ensinar. Além de pensar nas técnicas para aprimorar o desempenho das aulas e torná-las melhor para o ensino, é fundamental recordar que a correção de provas também instrui e orienta os alunos rumo ao seu aprendizado. A avaliação que está ali é capaz de fazer com que ele tire suas dúvidas e, assim, melhore seu domínio sobre a matéria abordada.
  • Providencie a correção o mais rápido possível. Uma parte importante no processo de como corrigir uma prova é fazer isso rapidamente, pois as perguntas e o conteúdo do teste ainda estarão frescos em sua memória, o que ajuda bastante no aproveitamento da correção.
  • Reserve um tempo para repassar a correção com todos os alunos. Construir um debate sobre as questões é uma maneira interessante de fazer com que eles fixem os conhecimentos abordados e tirem dúvidas que ainda tenham permanecido. Essa também é uma oportunidade em que os professores podem descobrir erros em sua avaliação, ao passo que os alunos podem expressar melhor o que queriam dizer. Isso pode, inclusive, levar a reconsiderações em relação às notas.
  • Mostre-se aberto a conversar individualmente. É importante que os alunos percebam que podem contar com os professores para ajudá-los com o que for. Seja para sanar dúvidas ou orientar alunos que não tenham ido tão bem naquele teste, alguns minutos de conversa podem fazer toda a diferença.

Veja também: Descubra 3 sinais de que você precisa de ajuda para correção de provas

Como corrigir provas e dar notas fica mais fácil com a ajuda da tecnologia

As inovações em correção de provas já são realidade. Hoje, felizmente, não é mais necessário ter centenas de folhas de provas, de diferentes salas e níveis, para corrigir manualmente, o que tomaria muito tempo e poderia levar a erros na interpretação e nas avaliações.

O Prova Fácil Professor é a solução ideal para quem quer saber como corrigir provas e dar notas de uma maneira simples, prática, rápida e eficiente, Utilizado por mais de 100 mil professores, ela tem os seguintes recursos:

  • Diagramação automática;
  • Banco de questões compartilhado;
  • Exercícios online;
  • Estatísticas de acertos e erros;
  • Geração de folha de respostas;
  • Compartilhamento da prova com os alunos, entre outros.

Além de não precisar mais se preocupar com a questão da cor da caneta, já que tudo será feito de forma digital, os alunos receberão feedbacks rapidamente sobre as avaliações e poderão tirar suas dúvidas de uma maneira prática e eficiente.

A educação 3.0 já está entre nós, e cabe aos professores se adaptarem aos novos processos, o que pode ser assimilado rapidamente e trazer benefícios já a curto prazo, tanto para eles quanto para os alunos.
Depois de conhecer nossas dicas sobre como corrigir provas, aplique-as e veja como todos podem sair ganhando. Alguns pequenos ajustes são capazes de interferir direta e positivamente na aprendizagem dos alunos e, por consequência, em suas vidas!