Como é o professor do futuro?

15 de outubro de 2021
professor do futuro

Desde a tecnologia que não para de evoluir até o comportamento de uma geração que já nasceu em um mundo digital. Todos esses fatores projetam diversas mudanças para a área da educação nos próximos anos, e cabe ao professor do futuro já ir se preparando para ser o agente transformador desta nova era.

 

Quando pensamos no futuro da educação é natural que pensemos em tablets, computadores, plataformas digitais e outras ferramentas tecnológicas capazes de transformar o ambiente escolar em um local mais moderno e inclusivo. 

Tudo isso deve estar no radar do professor do futuro, mas é necessário ir além.

É preciso fazer uma reavaliação de toda a lógica do ensino, que está cada vez mais focada no aluno enquanto indivíduo, tanto no que se refere à aprendizagem quanto a sua formação como cidadão.

A maior missão dos profissionais da educação, portanto, será unir esses dois mundos aparentemente distintos: o humano e o tecnológico. A fim de propiciar um ambiente respeitoso e acolhedor, mas que também seja ágil, conectado e estimule a autonomia do aluno.

Veja abaixo algumas dicas para fazer essa mistura dar certo!

3 habilidades do professor do futuro

Saber trabalhar com habilidades socioemocionais

Com certeza você já ouviu falar sobre a importância das hard skills (habilidades técnicas). Elas são muito valorizadas no mercado de trabalho, seja qual for a profissão.
E de fato: ter habilidade e conhecimento naquilo que se propõe a fazer é fundamental.

O problema é que muitas pessoas se esquecem de desenvolver outras habilidades que são tão importantes quanto: as soft skills (habilidades comportamentais).

São elas que permitirão que o professor do futuro consiga lidar com acontecimentos comuns do cotidiano escolar, mas que podem ter um efeito negativo em um emocional despreparado, como alunos desinteressados ou casos de bullying, por exemplo.

Dentre os benefícios de se desenvolver competências socioemocionais estão:

  • Maior autoconhecimento.
  • Maior controle emocional.
  • Melhora no diálogo com os alunos.
  • Capacidade de reconhecer e entender mais rapidamente os problemas dos alunos.
  • Mais facilidade em lidar com a diferença e promover a acessibilidade e a inclusão dentro da escola.
  • Propriedade para ensinar os alunos a desenvolver competências socioemocionais, gerando assim um ciclo virtuoso.

Boa comunicação e escuta ativa

Foi-se o tempo em que o professor apenas falava e dava ordens, enquanto os alunos passivamente ouviam e obedeciam. 

A quantidade de informações trazida pelo mundo digital está formando uma nova geração cada vez mais contestadora. Sendo assim, a melhor maneira de ser respeitado é criando uma relação de confiança, fruto de uma comunicação aberta.

Nesta comunicação, não apenas os dois lados falam e escutam, como também é imprescindível o exercício da escuta ativa.

A escuta ativa é uma técnica que consiste em escutar o que o outro tem a dizer, desprendendo-se de qualquer preconceito ou julgamento, prestando o máximo de atenção e exercitando a empatia.

Pode parecer um exercício bobo, mas o uso da escuta ativa em sala de aula traz benefícios como:

  • Fortalece o vínculo entre professores e estudantes.
  • Estimula os alunos a se expressarem.
  • Cria um ambiente livre de preconceitos.
  • Traz motivação na hora dos estudos.
  • Ensina aos alunos a importância da escuta.

Facilidade com tecnologia

Como comentado no início do texto, a tecnologia está sendo cada vez mais usada como uma ferramenta para auxiliar na aprendizagem. E a tendência é que essa prática só aumente nos próximos anos.

Ela também pode ser um instrumento poderoso para aumentar a inclusão no ambiente escolar, facilitando o aprendizado de crianças e adolescentes portadores de necessidades especiais, por exemplo.

Além disso, trazer a tecnologia para a sala de aula pode ser uma excelente maneira de engajar os alunos. Uma das formas de fazer isso é através da gameficação, que consiste em promover a aprendizagem através de jogos eletrônicos.

Outra boa estratégia é inserir conceitos da linguagem de programação nas aulas, propiciando o desenvolvimento do lado cognitivo e raciocínio lógico do aluno.

Mas, para conseguir aplicar esses conhecimentos, o professor do futuro precisa estar a par das novas tecnologias. Sendo assim, investir em cursos e colocar esta área como prioridade na hora de pensar na sua formação continuada é fundamental.

3 características do professor do futuro

Prova-Fácil-professor-do-futuro

É um bom líder

Mesmo em métodos de ensinos modernos, como a aprendizagem centrada no aluno, é indispensável que o professor do futuro seja capaz de se firmar como uma figura de liderança.

Mas cuidado: liderança, sobretudo na educação, não é sinônimo de autoritarismo.

É preciso aprender a exercer uma liderança democrática, que valorize o diálogo, estimule a confiança, e assim, conquiste a admiração dos alunos.

Desta forma, o professor estará criando um ambiente organizado sem ser repressor.

É empático

Este tópico é um complemento do anterior, já que sem empatia não é possível exercer uma liderança justa.

A empatia nada mais é do que o exercício de se colocar no lugar do outro. Essa habilidade é muito importante quando se trabalha com pessoas, sobretudo crianças e adolescentes, que vivem uma fase de bastante turbulência emocional.

Alguns benefícios de fazer o exercício de se colocar no lugar do aluno:

  • Gera respeito e confiança.
  • Permite identificar os problemas de aprendizagem e traçar estratégias para resolvê-los.
  • Melhora o engajamento da sala de aula, através da criação de um ambiente mais saudável.
  • Facilita o desenvolvimento da inteligência emocional por parte do aluno.

É multidisciplinar na sua abordagem

A multidisciplinaridade consiste em enxergar o saber como uma coisa única. 

Isso quer dizer que, mesmo sendo especialista em uma área, o professor do futuro compreende que o conhecimento não permite barreiras e que a habilidade de conseguir conectar diferentes áreas de conhecimento é fundamental.

Por exemplo, em uma aula de português, pode-se falar um pouco de história quando estudamos a origem da nossa língua; uma aula de biologia pode navegar pela geografia, ao tratar dos diferentes habitats em que vivem os animais.

Além de ser uma abordagem moderna, ela estimula o engajamento dos alunos e os ensina a aplicar seus conhecimentos em diferentes áreas da vida.

Modernize suas avaliações com o Prova Fácil

Outro ponto importante para nos aproximarmos da educação do futuro é a modernização das avaliações.

Atualmente, existem softwares capazes de ajudar os profissionais a formularem as suas provas de forma muito mais ágil, facilitando a correção e permitindo um acompanhamento minucioso e baseado em dados da evolução do aluno.

Ficou interessado? Baixe o nosso E-book “O Futuro das Avaliações” e dê o próximo passo para se tornar um professor do futuro!

 

Baixe o E-book “O Futuro das Avaliações”