Como elaborar provas escolares da melhor forma?

24 de outubro de 2014
como elaborar provas escolares

Os professores preparam as aulas, propõem atividades, levam os alunos a refletir e opinar sobre os conteúdos propostos e, por fim, avaliam o que foi absorvido pela turma, individualmente, durante esse processo. Contudo, a semana de provas não acaba quando os alunos a realizam; pelo contrário: para o professor, esse é só o início dos procedimentos.

Ao preparar as questões que vão compor a prova é preciso estar atento ao que vai ser exigido dos alunos. Para isso, recursos variados podem servir para contribuir com a otimização do tempo do docente, como gestão de provas, matriz de referência, entre outros. Mas é importante frisar que, além de uma prova bem estruturada, é preciso fazer uma correção consciente.

As provas bem elaboradas fornecem elementos valiosos sobre o nível da turma – e só será possível encontrá-los se a correção for feita com essa intenção. O TRI, por exemplo, é um sistema usado em provas renomadas, como o ENEM, que evita com que os alunos sejam avaliados apenas pelo índice de acertos, mas principalmente pelo nível das questões. Esta é uma forma de entender onde estão as habilidades e dificuldades de cada aluno.

Com base nas correções das avaliações o professor se orienta quanto ao planejamento das aulas subsequentes. Para a consultora de avaliação e professora aposentada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jussara Hoffmann, “independentemente de uma resposta estar certa ou errada, ela sempre dá sinais sobre o nível de aprendizagem da turma e aponta os caminhos que o professor pode escolher para dar continuidade ao planejamento”.

como elaborar provas escolares

Sem dúvida, cada disciplina tem suas particularidades e diferentes maneiras de ser avaliada; mas, independente disso, o importante é que o aluno possa entender em que ponto errou.  Ao fazer anotações dos dados sobre o desempenho de cada aluno, seja num diário tradicional ou virtual, e tomando o cuidado de dividir os erros por categorias, o professor tem mais condições de orientar cada um a partir de suas dificuldades, além de direcionar melhor as atividades dadas em sala de aula.

Corrigir provas não é apontar erros, e sim, diagnosticá-los.  Ao fazer isso se consegue um panorama dos problemas mais recorrentes e fica mais fácil caminhar com a evolução dos alunos, criando e planejando ações que atendam as necessidades da turma.

O tempo destinado ao preparo de aulas e à correção dos trabalhos e provas está incluído no período remunerado de aulas ministradas pelo professor, então, faça esse processo da maneira mais completa e acertada. Assim, os alunos saem ganhando, com uma formação justa, e você, enquanto profissional, cumpre seu papel de forma ética e responsável.