Como melhorar o uso da Matriz de Referência na educação

22 de dezembro de 2014
como melhorar o uso da matriz de referência

Muitas escolas iniciam seus anos letivos sem um planejamento estratégico focado em resultados mensuráveis, ou mesmo sobrecarregando seus professores sem fazer um acompanhamento mais de perto. Para fazer um bom trabalho com os alunos é preciso ter o envolvimento de todos, desde professores a coordenadores e diretores e, neste caso, o uso da matriz de referência aplicada à metodologia adotada pela instituição é essencial. Mas, para que seja realmente eficaz, é preciso construir a estratégia com o envolvimento de todos.

Otimizar a matriz de referência é fundamental para realizar um trabalho direcionado e estruturado. Neste sentido, ao aprimorar uma matriz focando, por exemplo, nos interesses dos alunos, é provável que se alcance resultados mais práticos ao fim do semestre ou ano letivo. Quando se fala em foco no aluno, é uma questão de atentar-se para o conteúdo a ser transmitido dando ênfase aos tópicos que façam sentido para os estudantes, ou seja, matérias que vão ser cobradas deles em importantes provas ou concursos. Sendo assim, a matriz pode ser estruturada com base em outras matrizes. Por exemplo: um professor do ensino médio, pode basear sua matriz em uma já pronta do ENEM, que é uma importante prova a ser realizada pelos alunos.

Provavelmente você já ouviu falar sobre a aprendizagem adaptativa, onde o foco está nas necessidades, interesses, dificuldades e expertises dos alunos, e o mais importante: de forma individualizada, pensando em cada estudante de forma isolada. Conciliar a construção de uma matriz com as práticas do ensino adaptativo é um passo inovador e, até mesmo, revolucionário no que diz respeito ao sistema de ensino brasileiro. Construir uma matriz focada tanto nos interesses dos alunos quanto em suas dificuldades e principais necessidades é adotar um método de trabalho completo e eficiente.

como melhorar o uso da matriz de referência

Nas provas Brasil e Saeb, por exemplo, as secretarias estaduais e municipais de educação e as escolas públicas da educação básica, que possuem turmas de quarta e oitava séries (quinto e nono anos) do ensino fundamental, recebem os cadernos Matrizes de Referência, Temas, Tópicos e Descritores. E esse material deve ser utilizado não somente para nortear a estrutura das provas, mas, principalmente, orientar os professores na construção dos seus respectivos planejamentos de aula.

Aprimorar o uso da matriz de referência dentro das instituições é uma questão de disciplina e pré disposição por parte dos professores e, também, dos administradores envolvidos no processo de ensino. Contudo, antes de querer aprimorá-la, é preciso entender o real impacto dentro da instituição – e uma excelente forma de fazer isso é estudando sua aplicação em outras escolas, ou mesmo em concursos e provas de grande escala.

Propor mudanças nem sempre é algo simples, já que qualquer mudança requer interesse e participação de todos, para que efetivamente funcione. Sendo assim, a iniciativa de organizar o uso da matriz de referência dentro da instituição não precisa partir, exclusivamente, da escola: pode vir dos próprios professores, que, na verdade são os principais impactados por essa medida. Então, se você quer aprimorar seu método de trabalho, é hora de conhecer os recursos e propor as melhorias.