Como trabalhar as competências socioemocionais na escola? Aprenda a preparar melhor seus alunos

9 de junho de 2021
criança olhando para cima e pensando com título do blogpost

Abordar as competências socioemocionais na educação fará toda a diferença (positivamente) no presente e no futuro dos estudantes.

Muito se fala, especialmente no mercado de trabalho, em hard skills (habilidades técnicas). Elas são importantes, mas não podemos deixar de olhar para as soft skills (habilidades comportamentais), e é aí que muitos coordenadores pensam: como trabalhar as competências socioemocionais na escola?

Além de estarem sendo cada vez mais exigidas no mundo profissional, as habilidades socioemocionais exercem influência direta na vida de crianças, jovens e adultos, e nada melhor que abordar este tema desde a base para que seu desenvolvimento ocorra de maneira sólida e eficaz.

Graças às mudanças pelas quais o mundo vem passando neste sentido, na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), as competências socioemocionais estão presentes em todas as 10 competências gerais, o que comprova a importância (e necessidade) de abordar o tema na escola.

Nos acompanhe neste conteúdo para aprender mais sobre as habilidades socioemocionais e como tratar sobre elas em sua escola.

O que são habilidades socioemocionais?

Nossa definição virá de uma das maiores referências no assunto. De acordo com a CASEL (Collaborative for Academic, Social, and Emotional Learning), fonte confiável de conhecimento sobre o tema, a definição é a seguinte:

“Aprendizagem socioemocional (SEL) é uma parte integral da educação e do desenvolvimento humano. SEL é o processo pelo qual todos os jovens e adultos adquirem e aplicam o conhecimento, as habilidades e as atitudes para desenvolver identidades saudáveis, gerenciar emoções, conquistar objetivos pessoais e coletivos, sentir e demonstrar empatia pelos outros, estabelecer e manter relacionamentos solidários e tomar decisões responsáveis e carinhosas.”

A CASEL é tão confiável que é mencionada em um artigo do site oficial da BNCC, do MEC, chamado de “Competências socioemocionais como fator de proteção à saúde mental e ao bullying”, o que inclusive destaca ainda mais sua importância no contexto escolar, como abordaremos mais adiante.

Quais as competências socioemocionais?

Como o conceito é amplo, podemos encontrar uma série de competências. Porém, a CASEL pode nos ajudar mais uma vez aqui com seu “Sistema SEL” (SEL Framework), que menciona os conhecimentos, habilidades e atitudes em cinco diferentes áreas.

Inclusive, o artigo do site da BNCC de que comentamos anteriormente também abordam as mesmas competências, que são as seguintes:

  • Autoconsciência: trata do conhecimento de cada pessoa, de suas forças e limitações, com o intuito de sempre manter atitudes otimistas e que visem o crescimento.
  • Autogestão: é a capacidade de gerenciar o estresse com eficiência, além de controlar impulsos e definir metas adequadas.
  • Consciência social: passa especialmente pelo exercício da empatia, ou seja, de se colocar no lugar das outras pessoas, o que ajuda a respeitar a diversidade.
  • Habilidades de relacionamento: tratam das habilidades de ouvir com empatia, falar com objetividade e clareza, ser cooperativo com outras pessoas, resistir a pressões sociais inadequadas (como o bullying), solucionar conflitos com respeito e de maneira construtiva, além de ajudar o próximo sempre que necessário.
  • Tomada de decisão responsável: diz respeito às escolhas pessoais e interações sociais conforme os padrões éticos, cuidados com segurança e as normas de uma sociedade.

Por que as habilidades socioemocionais são importantes nas escolas?

Porque elas estão relacionadas a quão habilidosas as crianças serão no futuro em diferentes aspectos de suas vidas, como social, emocional, acadêmico e profissional. Por isso, quando antes se abordarem as competências socioemocionais na Educação, melhor.

Inclusive, o estudo “Early Social-Emotional Functioning and Public Health: The Relationship Between Kindergarten Social Competence and Future Wellness”, publicado no periódico American Journal of Public Health, mostra bem como é importante abordar as competências socioemocionais desde cedo.

De acordo com ele, ter melhores habilidades socioemocionais no jardim de infância está relacionado a resultados importantes aos 25 anos, como os seguintes:

  • Sucesso educacional, como completar uma graduação;
  • Sucesso profissional, como uma maior probabilidade de ser contratado;
  • Outros resultados importantes na vida, como a menor probabilidade de ter algum tipo de problema com a polícia.

Logo, saber como trabalhar as competências socioemocionais na escola é indispensável para que, mesmo depois de praticamente duas décadas, as crianças (então adultas) tenham uma vida melhor, mais feliz e equilibrada.

Qual é o papel dos atores da educação neste trabalho?

Os professores, assim como os coordenadores, diretores e demais responsáveis, devem implementar as habilidades socioemocionais nas escolas, com seus conceitos sendo abordados por diferentes disciplinas.

O mesmo vigor e determinação aplicados no ensino das matérias “tradicionais” devem ser inseridos ao ensinar sobre as competências socioemocionais. Afinal, elas farão toda a diferença na vida daquelas crianças e jovens, inclusive no curto prazo.

Quando falamos sobre formação integral, nos deparamos com diferentes dimensões que devem ser desenvolvidas em conjunto, inclusive a emocional e a social, o que garante um aprendizado muito mais completo do que quando se foca apenas nas dimensões culturais e intelectuais, por exemplo.

Neste sentido, os atores da educação devem conduzir os jovens, mostrando que as competências socioemocionais podem não ser mensuráveis da mesma forma que as técnicas, mas precisam ser trabalhadas para um desenvolvimento pleno.

As habilidades socioemocionais e a BNCC: qual é a relação?

Como mencionamos anteriormente, as competências socioemocionais estão presentes nas 10 competências gerais da BNCC, o que nos mostra duas coisas.

A primeira é a grande importância das competências socioemocionais na escola. Afinal, se a Base Nacional Comum Curricular, que define os objetivos e direitos de aprendizagem, colocaram este conteúdo em todas as competências gerais, não há dúvidas de que isso deve fazer parte da aprendizagem dos alunos.

A segunda é que as competências socioemocionais devem ser abordadas não necessariamente como uma disciplina, mas sim permear todas elas, aparecendo em aulas de diferentes matérias. Essa multidisciplinaridade permite que o desenvolvimento seja ainda mais sólido.

Dicas de práticas educativas para promover as habilidades socioemocionais na escola

Justamente por serem multidisciplinares, as competências socioemocionais podem ser trabalhadas de várias formas. Algumas sugestões de atividades para o desenvolvimento de competências socioemocionais são as seguintes:

  • Criação de um diário. Os diários permitem que as crianças pensem nas habilidades socioemocionais de várias formas. Elas podem ser solicitadas a lembrar sobre quando tiveram que usar o autocontrole em seu dia e quais foram os resultados obtidos, por exemplo.
  • Atividades de artes. A arte é um meio muito poderoso para desenvolver as habilidades sociais e emocionais, já que podem ajudar a expressar sentimentos e até reafirmar o autoconhecimento.
  • Falar sobre a importância de controlar as emoções. Não importa a idade: de crianças a jovens adultos, o controle emocional é uma característica fundamental. O tema pode ser abordado na análise dos comportamentos dos personagens de um livro ou história, por exemplo.
  • Delegar responsabilidades. Quando as crianças e jovens recebem responsabilidades, eles passam a entender como são valiosos e importantes e pertencem a uma comunidade maior, o que é indispensável para o dia a dia na faculdade, no trabalho e em relacionamentos interpessoais.
  • Celebrar as diversidades. Discutir com as crianças sobre como as pessoas possuem diferentes culturas, costumes e níveis de habilidade as permitirá desenvolver a tolerância, a aceitação e a inclusão.

Habilidades socioemocionais: indispensáveis para um desenvolvimento integral

Felizmente, as competências socioemocionais são vistas como muito importantes hoje em dia. Afinal, aprender sobre isso é tão necessário quanto aprender sobre Matemática, Português e Ciências.

Em um mundo repleto de diversidade, no qual nos deparamos com pessoas muito diferentes, ainda mais quando pensamos no conceito de inteligência digital, a inteligência socioemocional precisa estar no currículo dos pequenos e jovens adultos, o que certamente influenciará no decorrer de suas vidas.

Se você gostou de aprender como trabalhar as competências socioemocionais na escola, saiba que o blog da Prova Fácil sempre traz conteúdos relevantes para educadores, coordenadores e outros profissionais da Educação.

Acompanhe nossas publicações e se inscreva em nossa newsletter para receber os melhores conteúdos diretamente em seu e-mail. É só digitar o seu e-mail no topo da tela, na caixa de texto ao lado de “Assine a nossa Newsletter”. Assim, as informações irão direto até você!