Contratação de professores e docentes: como fazer no pós-pandemia?

13 de novembro de 2020

A contratação de professores e docentes nunca foi tão simples. Afinal, além de serem profissionais que representarão a imagem da instituição de ensino, eles estarão envolvidos no valioso processo de aprendizagem dos alunos, algo que impactará em toda a sua vida.

Se isso já era desafiador antes, a pandemia trouxe algumas novas peculiaridades ao processo, que deve ser conduzido de uma maneira mais completa, a qual vai além de seu desempenho no ensino e da experiência adquirida na trajetória profissional.

Além disso, se a decisão de contratar professores e docentes já impactava diretamente em sua instituição de ensino, quanto mais daqui em diante. A escolha pode representar um destaque positivo no meio educacional ou dar sinais negativos em relação à acirrada concorrência.

Se você quer entender melhor como este processo deve se desdobrar daqui em diante e como tomar a decisão mais proveitosa possível para todos os envolvidos, continue conosco e tire suas dúvidas.

Afinal de contas, como contratar professores e docentes depois da pandemia?

Young woman sitting in office during the job interview with female employee, boss or HR-manager, talking, thinking, looks confident. Concept of work, getting job, business, finance, communication.

Se pudéssemos resumir as novas habilidades e competências em apenas uma palavra, adaptação seria a escolha certa. A qualidade, fundamental em todos os aspectos de nossas vidas, não poderia ser diferente no meio educacional, especialmente no cenário do “novo normal”.

Em nosso artigo sobre formação docente, comentamos de uma estatística que mostra bastante da realidade educacional no pós-pandemia: uma pesquisa do Instituto Península mostrou que 83% dos professores ainda se sentem despreparados para o ensino virtual.

É fato que a pesquisa foi feita entre os dias 13 de abril e 14 de maio de 2020, quando as aulas remotas e online eram muito mais novidade do que são hoje, ou seja, se a pesquisa fosse repetida atualmente, pode ser que os índices não fossem tão altos em relação àqueles que não se sentem preparados.

Para fins de comparação, em 11 de março, a OMS declarou a COVID-19 como uma pandemia. Depois de alguns dias, em 23 de março de 2020, 100% das aulas presenciais já tinham sido suspensas no estado de São Paulo.

Em outras palavras, dados para a pesquisa começaram a ser coletados pouco mais de um mês depois da caracterização da pandemia e terminaram um mês depois, ou seja, a situação ainda era uma grande novidade.

Contribui muito para isso o fato de que as aulas pela internet foram uma grande novidade para vários professores. Um levantamento da UFMG e da CNTE mostrou que 89% dos professores da rede pública não tinha experiência anterior à pandemia para dar aulas remotas.

Porém, ao mesmo tempo em que fica nítida a falta de contato com as aulas remotas para a maioria dos professores, reflexo de uma transformação digital na educação que demorou mais que o ideal para ser colocada intensamente em prática, não podemos deixar de considerar a importância da adaptação.

O professor EaD é um dos desafios para a educação em 2020, inclusive mais do que já acontecia anteriormente, e não há como mudar essa realidade, já que a pandemia acelerou um processo que ainda caminhava a passos lentos.

O ensino híbrido, caminho para o retorno às aulas presenciais, veio para ficar, e daqui em diante a adaptabilidade para o digital tende a ser um requisito com peso ainda maior no cenário da educação em relação ao que acontecia até então, o que certamente precisa estar no radar dos recrutadores.

Como guiar o recrutamento e a contratação de professores e docentes em relação à sua adaptabilidade?

Company CEO and HR manager reading applicant resume or cv while employee waiting for questions, discussion and result during recruitment process in office. Concept of hiring, employment. Close up view

É latente a necessidade de escolher profissionais que consigam se adaptar bem ao novo cenário educacional que se desenha com linhas cada vez mais firmes, mas como fazer essa avaliação na prática? Nós separamos alguns pontos que podem ajudar os recrutadores neste sentido. Confira:

  • Adapte o processo seletivo para a nova realidade educacional. O primeiro passo a ser aplicado pelos recrutadores é fazer com que o processo de seleção da instituição de ensino seja totalmente pensado para candidatos que possam atender aos requisitos inovadores propostos. Afinal, de nada adianta exigir algo que não está sendo colocado em prática nem pela própria equipe, não é?
  • Hard skills são importantes, mas olhe também para as soft skills. É comum olhar para as competências técnicas, mas as comportamentais são cada vez mais importantes em nossa sociedade, especialmente em um cenário de ensino online, ensino híbrido e suas outras vertentes, que tanto demandam organização, planejamento, autocontrole e adaptabilidade.
  • Proponha desafios aos candidatos e analise sua maneira de solucioná-los. Reúna os docentes que já fazem parte da instituição de ensino, especialmente aqueles que estão mais engajados nas novas propostas de ensino, e pense em desafios que possam ser aplicados aos candidatos para entender quem realmente está preparado ou está claramente neste caminho de adaptação.
  • Conduza uma parte do processo seletivo a distância. As limitações de contato físico trazidas pela pandemia já devem estar fazendo com que o processo de recrutamento e seleção seja colocado em prática parcial ou totalmente a distância, seja pela internet ou por telefone, neste que não deixa de ser um teste para ver como os candidatos se adaptam ao trabalho e à comunicação a distância, por exemplo.
  • Peça sugestões de melhoria do ensino online aos candidatos. Muito além de conhecer o conceito, é importante entender como os docentes pensam em relação aos possíveis aperfeiçoamentos a se aplicar no ensino online. Este pode ser um grande diferencial em relação aos que estão melhor preparados. A sugestão de uma estratégia de design instrucional, por exemplo, é um ótimo indicativo!
  • Busque saber também quais são suas dicas para aumentar o engajamento dos alunos. Um dos principais desafios da “nova educação” é saber como engajar alunos que não compartilham o mesmo espaço físico ao mesmo tempo. Quanto mais interessantes e relevantes forem as sugestões dos candidatos neste sentido, melhor!

Leia também: Ensino online x ensino remoto: estamos prontos?

Contratação de professores: uma necessidade que também deve passar por mudanças

Se uma instituição de ensino deseja estar pronta para atender às novas demandas do cenário educacional, é preciso que todo o seu planejamento tenha isso como objetivo, inclusive no que tange à seleção de profissionais que estejam de acordo com esses objetivos.

Neste exato momento, em que ainda estamos enfrentando a pandemia, pode ser um pouco mais difícil encontrar docentes que cumpram a tais requisitos, já que a migração digital forçada pegou muita gente de surpresa, e é até natural que a adaptação demore um pouco.

Porém, em contrapartida, também é possível analisar quem possui um perfil mais aberto às novidades neste sentido, o que não está relacionado à idade, mas sim à forma com a qual o profissional está aberto a atualizar suas bases para atender as demandas atuais.

Além disso, mais do que se atentar no processo de seleção, a instituição também deve estar preparada para investir na formação e atualização dos professores, caminho ainda mais certeiro para ter uma equipe alinhada com as necessidades atuais. Uma boa dica é fazer uso, também, dos vários cursos online gratuitos de capacitação que podem ser sugeridos no processo, o que não onera nenhuma das partes envolvidas e permite que o contato com as novas tecnologias ocorra com naturalidade e todo o preparo prévio necessário.


Concentre todos os esforços possíveis na contratação de professores e docentes que demonstrem uma boa adaptação às novidades na educação. Certamente, isso será notado pelos atuais e futuros alunos, o que tende a pavimentar um futuro ainda mais brilhante – e moderno – à sua instituição de ensino.