EAD em 2022: perspectivas e tendências

16 de dezembro de 2021

O EAD, após o início da pandemia, começa a ser mais reconhecido como um recurso educacional igualmente útil para produzir aprendizagem.

As mudanças ocorridas na educação superior nos últimos anos, junto com as consequências da pandemia de COVID-19, mudaram a perspectiva das pessoas e instituições sobre a Educação a Distância, o que significa que o EAD em 2022 será um acontecimento.

Ainda que muitos a confundam com a educação remota, o EAD apresentou um grande diferencial na vida dos estudantes e professores em 2021, tendência que deve seguir no próximo ano. 

Quer saber o que apontam os estudos sobre as perspectivas e tendências da Educação a Distância em 2002. Então , continue a leitura!

EAD: As transformações de 2020 e 2021

Se hoje a tecnologia é protagonista na educação, do ensino fundamental ao superior, os anos de 2020 e 2021 funcionaram como uma prova de fogo para essa conquista.

EAD está com uma imagem ruim?

O ano de 2020 (o primeiro da pandemia) teve um impacto mais negativo em relação à educação, no geral. 

Depois de uma fase crítica, a modalidade ganhou protagonismo em 2021 e tende a ser preferida por muitos acadêmicos em 2022. 

Com relação ao impacto negativo do início da pandemia, isso ocorreu porque as instituições de educação presencial tiveram que migrar “a força” para uma educação remota, sem estrutura e apoio pedagógico.

Para completar, os índices de desemprego cresceram, o que levou as pessoas a cortarem gastos, como a mensalidade da faculdade, ocasionando em evasão escolar

Depois, as universidades presenciais correram para continuar as aulas de forma online, gerando uma falta de qualidade no ensino.

Mas, com o passar do tempo, as aulas onlines reforçaram a importância das ferramentas tecnológicas como propulsora da aprendizagem, desmistificando a falsa ideia de que a educação a distância não tem qualidade.

Por isso, o esperado é que o EAD em 2022 ganhe mais adeptos que 2021. Inclusive, acredita-se que o número de matriculados no EAD em 2023 já será alcançado em 2022.

Perspectivas para o EAD em 2022

O ensino EAD em 2022 tem o desafio de explicar que a estrutura das aulas do EAD é diferente do ensino remoto, sendo a primeira preparada para interações assíncronas. 

Leia também: Ensino Online x Ensino Remoto: estamos prontos?

Haverá crescimento?

O crescente número de matrículas no EAD em 2021 prevê que a modalidade de Educação a Distância terá mais alunos que o ensino presencial em 2022.

Além disso, ao observar a evolução no número de matrículas feitas no ensino a distância nos últimos anos, é de se esperar que o EAD continue crescendo significativamente.

Entre as razões para esse crescimento, estão a diminuição da renda devido ao desemprego e o aumento da oferta de cursos online ou híbridos. 

Assim, o EAD surge como uma forma de continuar estudando de forma acessível, principalmente do ponto de vista econômico.

Além de universidades, onde mais estará o EAD em 2022?

A introdução do ensino remoto nas escolas prevê que essas instituições invistam na integração de currículos mais flexíveis, com adição de recursos multicanais, não restrito ao espaço físico.

A internet ajuda bastante nessa implantação, e ainda que os alunos sejam nativos digitais, a escola precisa estar preparada para oferecer uma boa experiência aos discentes.

Nesse cenário, o educador tem nas ferramentas tecnológicas um grande aliado na concretização do seu objetivo curricular.

Ferramentas como podcasts, vídeos e redes sociais proporcionam as aulas mais interativas, mantendo os alunos engajados.

Porém, é necessário possuir recursos modernos de correção de avaliações, prevenção de cola, otimização do tempo da rotina docente etc.

Tendências para o EAD em 2022

Saiba o que tem tudo para ser tendência no EAD 2022.

Personalização do Ensino

A subjetividade nunca esteve tão clara na educação e ainda bem. Com ela, percebeu-se que nem todo mundo aprende da mesma forma, o que permite concluir que é necessário oferecer diferentes oportunidades de aprendizagem aos discentes.

A personalização dos conteúdos cria uma escola mais inclusiva, valorizando as diferenças e limitações de cada indivíduo e, a partir disso, entendo a maneira como ele absorve o saber.

O interessante é que a personalização do ensino só é possível com o apoio da tecnologia, a qual consegue avaliar por meio de ferramentas interativas, o perfil de interação de cada aluno e o que mais se enquadra no seu perfil.

Assim, os gestores e professores podem direcionar melhor estratégias de enfrentamento dessas dificuldades dos estudantes.

Ensino Híbrido

O ensino híbrido terá maior reconhecimento no pós-pandemia, visto que foi possível notar que a escola pode ter sucesso com esse formato de educação.

Logo, o recomendado é colher o melhor dos dois formatos, oferecendo encontros presenciais com mistos de aulas onlines.

Implantar esse modelo implica em uma prática mais flexível e que, portanto, exige adequação dos espaços escolares ao híbrido, de modo que o currículo escolar possa ser contemplado por esse tipo de educação. 

Intensificação da formação dos professores junto a tecnologia

Diante dos tópicos anteriores que mencionamos, fica claro a importância do preparo profissional do educador, dado que ele assume uma responsabilidade gigante de conduzir os alunos para um ensino participativo.

De fato, não se pode mais voltar atrás, já que a tecnologia veio para ficar e o ensino tradicional não se sustenta por si só.

Então, mesmo que para alguns educadores os recursos tecnológicos ainda sejam complexos e tragam algumas dúvidas, é inegável a atuação desses recursos como mecanismos de alcance dos objetivos educacionais.

Para tal, cabe que as instituições de ensino invistam na capacitação e qualificação de seu corpo docente, não apenas no que tange às suas habilidades educacionais propriamente ditas como também à adaptação às novas tecnologias, por exemplo.

Investimento na Experiência do aluno

A experiência do aluno EAD 2022 busca manter o estudante bem relacionado com a instituição de ensino, no geral (professores, colegas, gestores). 

Para tal, a universidade deve procurar:

  • Contratar em professores capacitados;
  • Entender a visão dos alunos por meio de pesquisas e avaliações diagnósticas;
  • Elaborar métodos interativos de aprendizagem, focados em diferentes maneiras de obter a aprendizagem;
  • Adotar tecnologias interativas, visando o interesse do alunado através dos métodos de ensino estimulantes.

Como o Prova Fácil pode ajudar o EAD em 2022?

EAD em 2022

Seja no ensino básico ou na educação superior, o EAD em 2022 será um diferencial de peso na conquista de matrículas e na oferta de uma experiência do aluno positiva.

Na Educação a Distância, o Prova Fácil pode auxiliar desde o credenciamento da sua IES, oferecendo uma ferramenta de seleção prática e efetiva, além de avaliações regulares modernas e inovadoras.

Inclusive, os professores podem contar com ferramentas de geração e correção de provas, bem como o recebimento de relatórios que possibilitam uma planejamento pedagógico alinhado com as demandas do aluno e da universidade.

Por esses e outros motivos, investir no Prova Fácil é preparar sua IES para a expansão da EAD em 2022!

 

 Leve a Prova Fácil para sua Educação a Distância