Educação e tecnologia na escola dá certo?

28 de outubro de 2015
educação e tecnologia na escola

Se há alguns anos era inimaginável poder conversar, em tempo real, com uma pessoa que estava a quilômetros de distância por meio de uma tela, hoje é praticamente inimaginável viver sem esse tipo de facilidade. Se investimos em tecnologia para uso pessoal com a compra de smartphones ou TVs mais inteligentes, computadores e notebooks mais rápidos, porquê não pensar e investir em tecnologia para a escola?

Na Era tecnológica, marcada pela hiper conectividade e pela velocidade dos dispositivos, praticamente todas as áreas apresentaram algum tipo de evolução graças a ferramentas tecnológicas. A comunicação ganhou velocidade: uma mensagem por e-mail ou no celular tomou o lugar de uma carta despachada e que demorava dias ou meses para chegar ao seu destino, dependendo da distância entre remetente e destinatário. Na área da saúde, com laboratórios mais sofisticados, os medicamentos produzidos ganharam uma eficácia inimaginável para quem há poucas décadas tinha que recorrer a receitas caseiras ou alguma solução improvisada receitada por um médico de plantão. E até em uma atividade corriqueira, como se deslocar pela cidade, os moradores ganharam velocidade – seja com meios de transporte mais eficazes, ou com mapas e geo localizadores que apontam a melhor rota para o seu trajeto.

E na educação?

Abaixo separamos algumas dicas que vão ajudar você a se convencer de que ao investir em tecnologia, a escola estará investindo em qualidade, economia e, sem alarmismo, na sua própria  sobrevivência.

Aplicativos economizam tempo

Outra forma de investir em tecnologia para a sua escola é por meio de aplicativos que fazem um trabalho que tomam tempo de gestores e professores. Dessa forma, atividades burocráticas que têm que ser feitas ocasionalmente são geridas pelos softwares, o que significa economia de tempo e mais qualidade de vida para quem faz parte da comunidade acadêmica.

Algumas ferramentas foram criadas para reduzir o tempo gasto com a correção de questões de múltipla escolha. Uma delas é o Prova Fácil na Web, um software desenvolvido pela Starline, uma empresa de tecnologia em educação e que utiliza de ferramentas simples para garantir segurança e otimização desse processo. Depois de baixar um aplicativo para o seu smartphone, o professor programa o gabarito oficial. De posse das folhas de respostas dos alunos, ele escaneia a prova e, automaticamente, a ferramenta calcula a nota do aluno. Todo esse processo você pode conferir neste vídeo. Além da economia de tempo (imagine corrigir uma a uma as questões de  uma prova fechada de uma série inteira com 300 alunos), o Prova Fácil tem outras vantagens:

  • Permite gerenciar um banco de questões
  • Acompanhamento da evolução dos alunos
  • Diagramação das provas
  • Otimiza o aprendizado

educação e tecnologia na escola

Outro aplicativo interessante é o GridClass, um sistema que elabora quadros de horários de uma maneira muito mais simples, utilizando combinações e algoritmos. Pesquisas já apontaram que gestores e professores gastam em média dois meses do ano para elaborar e definir os horários do próximo semestre letivo. Isso porque algumas dificuldades devem ser levadas em conta na hora de elaborar um bom quadro de horários. Uma delas é que professores de escolas privadas, sobretudo, trabalham em mais de uma escola, cada uma com horários diferentes e distantes umas das outras. Outra dificuldade é conciliar docentes, disciplinas, turmas e séries de modo que a carga horária atribuída a cada um fique equilibrada.

Ferramentas que melhoram a qualidade de vida de professores

Quem dá aula sabe que o trabalho dura muito mais que as horas assinadas na carteira de trabalho. Além das aulas em classe, o professor frequentemente têm que levar tarefas para casa, como provas para corrigir, aulas para preparar, exercícios e trabalhos para elaborar. E todas essas funções são, em muitos casos, para uma, duas ou até três escolas diferentes.  Com essa rotina desgastante, não é exagero dizer que a qualidade de vida dos professores fica prejudicada.

Portanto, investir nessas tecnologias (como as citadas acima) para reduzir o tempo gasto com tarefas burocráticas que têm que ser feitas por docentes ou professores têm ainda uma vantagem ainda maior que a da economia de tempo: garantir mais tempo livre para os docentes e, consequentemente, mais qualidade de vida para uma figura que, sem ela, a escola simplesmente não existiria.

Tecnologia é uma tendência na educação

educação e tecnologia na escola

Diretores de escolas privadas e públicas de todo o mundo já entenderam que a escola não pode ficar para trás quando o assunto é tecnologia. O aluno e o professor de hoje têm perfis diferentes que os do século XX e convivem muito mais diretamente com as ferramentas tecnológicas. Com essa demanda partindo deles próprios, a escola corre o risco de ficar parada no tempo caso não tente compreender essa necessidade.

É claro que o aspecto pedagógico ainda é o mais importante, mas a utilização de equipamentos modernos como tablets e smartphones dentro da sala de aula pode contribuir para melhorar o aprendizado dos alunos. Dessa forma, o compartilhamento de conteúdo e a utilização de outros meios fora dos muros da escola, como vídeos, mapas, textos ou slides também gera um fluxo de informação maior para que o estudante possa ir além do que foi discutido com base no livro ou na apostila. Algumas escolas inovam ao trazer outras tecnologias para a sala de aula, como a robótica, para ensinar aos alunos noções de física, matemática ou mecânica.

Tecnologia corta gastos desnecessários

É certo que é preciso investir recursos em algum tipo de tecnologia que possa fazer diferença no processo de ensino de uma escola. No entanto, quanto dinheiro sai do cofre de cada instituição e que poderia ser economizado todo mês? Dispositivos inteligentes como sensores, por exemplo, identificam quando há pessoas usando o banheiro, uma sala de aula ou a biblioteca e se programam para acender a luz somente se houver alguém no recinto. Da mesma maneira, as velhas torneiras vem sendo substituídas por outras mais modernas e que controlam o gasto com água. Além de um menor gasto, gastar menos água e energia elétrica é uma atitude ecologicamente sustentável e necessária, além de dar um exemplo interessante aos alunos  para que também façam sua parte.

Outra alternativa interessante, dessa vez para cortar custos com comunicação e garantir agilidade e certeza de que as mensagens vão chegar aos pais de alunos é trocar as ligações telefônicas por aplicativos de troca de mensagem instantânea. Já existem aplicativos que separam os contatos dos pais por séries ou assunto e a mensagem só é disparada para quem deve ser atingido, de fato.