Ensino Interativo: como escolher as melhores questões para suas provas

2 de outubro de 2014
jovem com notebook em frente e as mãos sobre ele

“A prova estava impossível de fazer”. “Não caiu nada do que eu estudei”. “Tive que chutar tudo”. “Nem com consulta dava para fazer esta prova”. Você já ouviu alguma reclamação como estas? Ou algumas dessas colocações foram feitas após uma prova sua? Nem sempre os alunos se preparam para uma prova, mas, em determinadas situações, as dúvidas surgem com base na má formulação da prova ou na forma confusa como o conteúdo é abordado nas questões. E, aí, é necessário reconhecer que a forma como a avaliação é estruturada e pensada faz toda a diferença.

Para você que é professor e sempre ouve reclamações sobre a semana de provas, ou mesmo por uma simples atividade dada em sala de aula, é importante saber distinguir quando os estudantes questionam seus resultados sem ter fundamentos e quando realmente há falhas por parte dos profissionais, que não se lembram que provas bem elaboradas são sinônimo de avaliação bem feita.

Uma prova nunca deve ter o objetivo de punir o aluno, mas sim avaliar. É o momento que cada estudante tem de colocar no papel tudo o que foi absorvido em sala de aula ou durante seus estudos. Para isso, é preciso se preparar para fazer esta avaliação individual dos conhecimentos adquiridos – e, se houve uma preparação para fazer o teste, o que está sendo cobrado deve condizer com o conteúdo passado para ser estudado.

Quando elaborada com precisão, as provas podem ser ótimas aliadas na produção de um bom diagnóstico do que a turma aprendeu. A falta de conexão entre as provas e o dia a dia da sala de aula pode ser prejudicial tanto para o aluno, que terá baixo rendimento, quanto para os professores, que ficam sem um parâmetro da evolução da sua turma.

Para ajudar na estruturação das questões de uma prova, preparamos cinco dicas de ouro. Confira:

 

  • Enunciados bem formulados

Pegadinhas ou enigmas, exceto em questões de lógica ou vocabulário, podem dificultar na hora da avaliação, já que a equipe não terá certeza se o estudante não sabia o conteúdo ou se não entendeu o que foi pedido.

  • Grau de dificuldade

O nível da prova não deve ser tão alto que frustre o aluno, nem tão baixo que o torne desmotivado.

  • Avaliação dos alunos

As questões de uma prova devem ser produzidas de acordo com o conteúdo passado aos alunos. Só assim será possível perceber o nível de entendimento e absorção do que foi apresentado aos estudantes.

  • Contextualize os enunciados

Apresente no enunciado da questão um texto de apoio ou de repertório, um artigo científico, jornal ou revista, um diagrama ou esquema que remeta o aluno à questão, aproximando-o do tema abordado.

  • Capacidade de leitura e escrita

Mescle questões de múltipla escolha e dissertativas. Além disso, elabore enunciados que exijam bom domínio de leitura e interpretação de texto.

Baixe grátis o Checklist da Transformação Digital na Educação