7 Razões para escolas se manterem por dentro das novas tecnologias educacionais em 2017

24 de julho de 2017

7 Razões para escolas se manterem por dentro das novas tecnologias educacionais em 2017


A tecnologia já entrou na sala de aula e veio para ficar. Por isso, as escolas que querem se diferenciar no mercado precisam se adaptar o quanto antes à essa realidade. Se você ainda não modernizou sua escola, listamos 7 motivos para você apostar nas tecnologias educacionais.

 

  • Os alunos já estão adaptados à essa realidade

     

De acordo com a pesquisa TIC Kids Online, 85% das crianças e adolescentes brasileiros que utilizam a internet mantém um acesso regular de pelo menos uma vez por semana e 47% afirma acessá-la todos os dias. Em primeiro lugar no ranking de motivos de entrada no “mundo virtual” aparece a realização de trabalhos escolares (82%).

 

Assim, é impossível negar que os alunos já estão adaptados à nova realidade tecnológica e, quando depende deles, o estudo também é feito por meio dessas ferramentas. Por isso, é fundamental que a escola também passe a aderir às novas tecnologias educacionais, a fim de tornar o aprendizado mais interessante e dinâmico, e criar oportunidades para os estudantes interagirem com os conteúdos de forma mais engajadora.

 

  • Os pais procuram esse diferencial, o que impacta diretamente nas taxas de retenção e matrícula

     

Adotar ferramentas como vídeo aulas, jogos, cursos online, dispositivos de realidade aumentada, entre outras, faz com que as aulas sejam mais produtivas e participativas, capazes de engajar os alunos no conteúdo e utilizar de forma mais eficiente o tempo e conhecimento dos professores.

 

Apresentar esse tipo de conceito mostra aos pais que a escola está empenhada em oferecer sempre os melhores recursos educativos a seus alunos e é aberta a novas tecnologias, que podem contribuir muito para o aprendizado dos estudantes. Isso pode ser um divisor de águas para os pais  na hora de escolher onde matricular seus filhos.

 

  • Preparar os alunos para o mercado de trabalho

     

O mercado de trabalho está em constante mudança e as exigências para se destacar estão cada vez maiores. Preparar os jovens para lidar com essa realidade é uma das funções das escolas, que precisam estar atentas habilidades que devem ser trabalhadas para que seus estudantes se destaquem no futuro.

 

Utilizando a tecnologia em sala de aula, é possível possibilitar ao estudante ter uma visão global do mundo e relacionar os conteúdos aprendidos à prática na vida real. Além disso, por meio da tecnologia, os alunos podem entrar em contato com pessoas do mundo todo, estimulando também sua capacidade de comunicação.

 

Segundo o estudo “A Revolução das Competências” do ManpowerGourp, o avanço da tecnologia vai mudar a dinâmica do mercado de trabalho e até 45% das atividades feitas devem ser automatizadas nos próximos dois ou três anos. Esse é mais um motivo para que os alunos saiam da escola já familiarizados com a utilização da tecnologia e as implicações que ela traz.

 

Escolas que oferecem disciplinas de habilidades de criação de softwares e planejamento de projetos, por exemplo, favorecem o trabalho em equipe; auxiliam no pensamento crítico e na capacidade para resolução de problemas; e preparam melhor os seus alunos para as expectativas do mercado.

 

  • Manter os professores atualizados

     

Para que os professores possam educar nossos meninos e nossas meninas com propriedade, primeiro é preciso dar a devida importância à formação deles próprios. Para aproveitar o potencial que as tecnologias oferecem, é preciso que os profissionais saibam usá-los adequadamente.

 

No entanto, durante a pesquisa TIC Educação 2015, que analisa o uso de tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras, apenas 39% dos  professores entrevistados afirmaram ter cursado disciplinas sobre como usar computador e Internet em atividades com os alunos durante a graduação.

 

Por isso, é fundamental que a escola insira novas tecnologias em sala de aula para manter os professores atualizados e com condições de ensinarem aos alunos a forma mais adequada de utilizá-las. Lidar com novas ferramentas ajuda o professor a se tornar um profissional multifacetado, que equilibra conceitos tradicionais e inovações contemporâneas.

 

  • Aumentar a produtividade, otimizando o tempo de ensino

     

As ferramentas digitais dinamizam e facilitam o trabalho dos professores. Um aplicativo de correção de provas, como o Prova Fácil, por exemplo, transforma em minutos as horas, ou até mesmo dias, que um profissional gastaria para corrigir centenas de provas de suas várias turmas. Assim, esse tempo pode ser melhor utilizado no planejamento de aulas mais inovadoras e interessantes e na formação do docente.

 

Além de ser menos desgastante para o professor, a automatização pode melhorar o desempenho dos alunos. Ferramentas de correção geram um feedback praticamente instantâneo com taxas de acerto por questão e porcentagem de alunos que marcaram respostas corretas ou erradas.

 

Com os resultados mais rápidos, o professor pode retomar os temas em que os estudantes apresentaram mais dúvidas logo após o teste. Uma revisão recente aumenta as chances de aprendizagem e retenção dos conhecimentos são maiores e o desempenho dos alunos melhora.

 

  • Segurança e praticidade na gestão de dados ao usar um software

 

Utilizar um sistema de gestão como o SGP ou o Smart, da Starline Tecnologia, centraliza todas as questões com as quais o gestor de uma instituição de ensino precisa se preocupar. Com isso, é poupado espaço, tempo e os dados são mantidos de forma mais organizada e segura.

 

Com um software, fica muito mais fácil controlar matrículas, materiais didáticos, lançamentos de notas e faltas, histórico e notas dos alunos, boletos de cobrança, recebimentos de mensalidades, taxas acadêmicas, fluxo de caixa, entre outros. Assim, as instituições melhoram o fluxo dos processos operacionais; diminuem gastos com recursos de hardware, controlam notas, vagas e certificados dos alunos e podem acessar todo o conteúdo pela internet.

 

  • As consideradas melhores escolas do mundo são as mais inovadoras

Segundo pesquisas do do NMC Horizont Report, entidade que examina as tecnologias emergentes e seu potencial de impacto e de uso para o ensino, aprendizagem e investigação criativa em escolas, instituições de países com melhores índices na qualidade do ensino no mundo utilizam-se, e muito, de tecnologias educacionais em sala de aula.

 

Essas escolas perceberam as vantagens da utilização de métodos que ensinam linguagens de programação e o desenvolvimento do pensamento computacional, por meio dos quais os estudantes aprendem desde cedo a resolver problemas usando a tecnologia a seu favor.

 

Cada vez mais, instituições de ensino no mundo todo estudam a implantação de ambientes colaborativos e meios de aprendizagem interativos. Na Finlândia, por exemplo, até a estrutura curricular foi alterada, integrando as disciplinas e conteúdos em projetos.

Embora não sejam tão adotadas pelas escolas ainda, as tecnologias educacionais são o futuro –  e somente quem se adaptar vai se manter no mercado. Agora que você já sabe porque deve conhecer e investir nas tecnologias educacionais, veja como usar a tecnologia educacional para captação de alunos.


Deixe nos comentários o que achou dessas dicas e comente alguma outra sugestão de inovação educacional.