Exercícios online: solução para gerar economia na escola com a tecnologia

13 de setembro de 2016

Na ponta do lápis, o gestor anota todos os gastos que tem que arcar todos os meses: contas de água, luz e gás, aluguel, impostos e taxas, salários de funcionários, professores, coordenadores pedagógicos, colaboradores e empresas terceirizadas, fornecedores e materiais – de escritório, escolares, de laboratórios, esportivos. Adicione a estes itens outros equipamentos, aparelhos, custos com reformas, mão-de-obra e temos uma boa parte das preocupações financeiras fundamentais para uma boa gestão escolar.

Em contrapartida, a escola quase sempre só tem uma única fonte de renda – as mensalidades e matrículas dos alunos. Uma renda que nem sempre é certa, já que a inadimplência escolar é uma realidade bastante comum para as instituições de ensino no Brasil e se agrava em momentos de dificuldade econômica. Ou seja, estamos diante de um caso de que as despesas tem data marcada para chegar, mas a receita, nem sempre.

No artigo de hoje vamos apontar como a tecnologia pode ser útil para gerar economia de gastos na sua escola. Boa leitura!

Powered by Rock Convert

Custo com a preparação dos alunos para o Enem

Na reta final da preparação para o Enem as escolas passam a adotar os chamados “simuladões”, testes preparados especificamente para treinar o aluno para o exame mais importante do ano, certo? No entanto, os simuladões tradicionais, que muitas vezes acontecem aos fins de semana para não comprometer o dia a dia da sala de aula, envolvem planejamento (e custo, claro).

Além daquelas despesas fixas do primeiro parágrafo, acrescente aí hora extra de funcionários e professores, contratação de monitores, mais gastos com luz e água e tudo o que envolve o operacional para um evento desse tipo. E, nessa época do ano, eles costumam ser muitos. No entanto, há algumas medidas que, se levadas a cabo, podem evitar esse aumento de custos.

 

Apostando na prova online

Em primeiro lugar é preciso imprimir centenas de provas e outras centenas de folhas de resposta para o gabarito dos alunos. Faça as contas: são 180 questões em cada dia de provas do Enem e inúmeros textos, infográficos, ilustrações, charges para embasar as perguntas. Ou seja, uma pilha de folhas que precisam ser grampeadas, envelopadas e transportadas para a sala de aula.

Tudo isso ficaria mais fácil se, em vez de optar por um simuladão presencial, este teste fosse feito online. Com o Prova Fácil, o professor enviaria por e-mail um teste com as 180 questões e os alunos responderiam a elas em um tempo determinado. Essa maneira evita todas as dificuldades de logística, planejamento e financeiro que um dia de simulado causa na sua escola. Além de economizar também na correção das provas. Sem a prova online, quem corrige todas as questões?

Conheça a correção automática de provas online

Ao final do simulado, os alunos vão para suas casas e a tarefa de corrigir suas folhas de resposta fica para o professor. Mas é claro que um único docente não dá conta de todo o volume de provas e, para essas ocasiões, frequentemente, escolas optam por contratar monitores e revisores para que as questões possam ser corrigidas. Anote aí mais um gasto.

Uma solução é automatizar esse processo. Hoje já existem softwares para correção de provas, como o Prova Fácil, que permite a comparação em tempo real da folha de resposta marcada pelo candidato com o gabarito oficial (devidamente preenchido pelo professor). Com isso, a nota do aluno sai em tempo real e a árdua tarefa da correção é minimizada.

E o melhor: o Prova Fácil pode ser usado todo o ano e para qualquer tipo de teste e não só um simulado do Enem. Visite nosso blog para conhecer algumas dicas de como elaborar provas para alunos do século XXI.