O futuro da educação: Aprendizagem Adaptativa

18 de novembro de 2014

Você já ouviu falar no termo Teach to One? Em tradução livre, quer dizer “ensine para um”. Trata-se de uma proposta de aprendizagem onde a formação das turmas é reduzida, o que possibilita a personalização do ensino. Seria esta uma tendência para o futuro da educação? Provavelmente sim, já que, em grupos menores, ficam mais evidente as características, dúvidas e expertises de cada um. Mas e o que mais se tem feito em prol de uma metodologia de ensino mais focada no desempenho individual dos alunos?

A tecnologia do ensino à distância, sem dúvidas, tem potencial para progredir no quesito ensino adaptativo. A própria plataforma utilizada pelos alunos já viabiliza a identificação de gaps no aprendizado e o acompanhamento mais próximo e sistematizado de cada um. Contudo, esta tendência ainda tem muito a evoluir, até porque a ideia é conciliar o ensino à distância com o presencial, pois ambos têm contribuições específicas na formação dos alunos.

Enquanto o ensino à distância evolui e o Teach to One vai ganhando espaço – e caminha em busca do reconhecimento e melhor entendimento de seus princípios por parte das instituições e profissionais – novas tecnologias surgem diariamente e, de forma direta ou indireta, vão ganhando espaço entre os públicos envolvidos no processo do ensino no Brasil.

Tecnologia: como ela contribui para o futuro da educação?

futuro da educação

Outros recursos tecnológicos também podem ser citados como contribuintes para a formação voltada ao ensino adaptativo como, por exemplo, a própria evolução dos meios de comunicação, como celulares e mídias sociais. Através do celular é possível criar grupos de bate papo, por meio do WhatsApp, fazer conferência audiovisual, realizar gravações e por aí vai.

Já as mídias sociais estão no rol dos “avanços imensuráveis”, já que promovem a conexão entre as pessoas de forma rápida, prática e eficaz, além de facilitar o compartilhamento de arquivos, informações e ideias.

Conhecer os alunos de uma turma hoje requer pouco esforço, mas muito interesse. Conversar, ouvir, ler e absorver toda informação que eles têm espalhado por aí requer criatividade. Como? Ao criar um grupo para sua turma, seja no WhatsApp, seja no Facebook, você já abre portas para conhecer cada um de forma única. Através destas plataformas a relação professor–aluno se desfaz, pois o segundo grupo se sente cada vez mais parte do processo. E aí, fica fácil perceber a espontaneidade de cada um, captar os principais receios e, o mais importante de todos, perceber a forma como cada um enxerga o mundo.

Obviamente tudo é uma questão de planejamento. Não adianta tentar implantar novas ideias de uma hora para outra; é preciso estudar, analisar as possibilidades e, aí sim, aplicar técnicas que vão contribuir diretamente para seu trabalho, seja com ou sem o apoio dos recursos tecnológicos.

Aprendizagem Adaptativa: o futuro da educação

Se você ainda tem dúvidas quanto à importância da aprendizagem adaptativa é hora de buscar mais informações sobre este conceito. Ele caminha ao encontro do futuro da educação no país e se aproxima cada vez mais da realidade. O tradicional método de ensino adotado pelas escolas hoje já está ultrapassado e pedindo por mudanças. A reestruturação focada no aprendizado individual do aluno caminha para se tornar uma tendência, e isso beneficiará a sociedade como um todo, formando profissionais mais capacitados e cada vez mais críticos.

futuro da educação