Como aplicar a Gestão do Conhecimento na educação?

18 de fevereiro de 2015
gestão do conhecimento na educação

Gerir o conhecimento não é, apenas, arquivar documentos ao acesso de todos, e sim um modo de fazer com que o conhecimento de uma empresa, instituição, organização ou qualquer outro tipo de modelo grupal de trabalho não esteja concentrado em apenas uma pessoa ou setor.

A premissa da Gestão do Conhecimento é: se amanhã esse grupo que existe hoje estiver dividido, repartido ou inexistir, ainda assim todo o conhecimento dessa organização poderá ser passado pela frente e absorvido por outras pessoas.

Nas escolas, a Gestão do Conhecimento tem ainda mais peso, pois esse é um ambiente onde a propriedade intelectual é presente e palpável dentro do corpo docente. Seja de ensino fundamental, médio ou superior, o espaço escolar é sempre formado por agentes do conhecimento que se complementam – não atuam sozinhos, e nem poderiam, e não são perenes em seu local de trabalho. Por mais que façam carreira em apenas uma escola, os professores acabam saindo do corpo docente em algum momento, e por isso a gestão de todo o conhecimento adquirido e distribuído pelos profissionais é tão importante.

gestão do conhecimento na educação

Como fazer a Gestão do Conhecimento no Corpo Docente

Cada escola tem uma cultura – e toda cultura, independentemente de como ela for fomentada, necessita, muitas vezes, de passagem de bastão.

Para fazer com que seu corpo docente sempre saiba qual é essa cultura, sob quais propósitos eles trabalham e para quem prestam serviços, o princípio básico do processo de gerência do conhecimento é a organização de arquivos e informações que estejam sempre ao alcance de todos.

As mudanças pelas quais sua instituição passou também devem ser devidamente arquivadas e, posteriormente, informadas ao grupo de professores, diretores, administradores e conselheiros. Uma cartilha atualizada anualmente sobre a missão, a visão, os valores e os números da escola, dentre tantas outras informações particulares à gestão de cada instituição, pode ser um bom caminho para alinhar todo o pessoal rumo a um objetivo convergente.

Vale lembrar, no entanto, que não adianta só querer fazer a Gestão do Conhecimento e ir por aí, só para falar que está fazendo: é preciso contratar especialistas com habilidades gerenciais de conhecimento organizacional, que possa articular sempre a favor das informações mais preciosas ao corpo docente. Contudo, em qualquer implementação gerencial, seja do conhecimento ou outro, o foco do corpo docente (e dos gestores das mudanças) deve ser sempre o cliente final da instituição de ensino: o aluno.

gestão do conhecimento na educação