Matriz de referência e a melhora nos índices educacionais

19 de novembro de 2014

Você já ouviu alguma frase do tipo: “professor tem vida boa, duas férias por ano, carga horária reduzida, vão lá dão umas aulinhas e pronto”. Sendo você professor ou não, devia saber que esta afirmação está longe de ser real. Professores têm, sim, uma rotina pesada e carregam uma responsabilidade enorme de levar conhecimento aos alunos. Neste sentido, tudo que for bom para melhorar os índices educacionais dos estudantes deve ser levado em consideração – e, nisso, matrizes de referência podem ser excelentes aliadas.

Através de uma matriz de referência, professores, coordenadores, diretores e demais envolvidos no processo educacional ficam alinhados quanto ao conteúdo a ser cobrado dos alunos, e tudo isso de uma forma muito mais estruturada e, se contar com recursos tecnológicos, o processo fica mais organizado e sistematizado. Além disso, os próprios alunos têm mais controle do que lhes é cobrado – afinal, suas atividades, aulas e provas são embasadas em um material concreto e fundamentado.

A matriz de referência é um recurso muito usado em provas como ENEM. Através dela os estudantes tomam conhecimento do que será cobrado na prova, o que permite uma melhor organização dos estudos. Nestes casos os próprios professores podem se basear em um material já existente para orientar suas aulas aos alunos que vão realizar a prova. Mas, definitivamente, não precisa ficar restrito a isso: aqui a proposta é estruturar uma matriz personalizada, condizente com realidade da turma, com a instituição para a qual está trabalhando e, claro, com a faixa etária.

índices educacionais

Vantagens do uso da matriz de referência como apoio ao ensino

  •  Organiza as prioridades dos conteúdos;
  • Facilita o método de trabalho dos professores;
  • Contribui para a orientação dos alunos tanto para a hora da prova quanto no dia-a-dia.
  • Possibilita o acompanhamento mais de perto da instituição para com as tarefas dos professores.
  • Uma mesma matriz pode servir como base para o ano seguinte, ou mesmo ser utilizada como comparativo para o que deve ser melhorado.
  • Concretiza o trabalho a ser desenvolvido pelos professores ao longo do ano e direciona a equipe.
  • Dá margem para o planejamento em conjunto (professores, educadores e coordenadores) do que será ensinado, avaliado e cobrado dos alunos de uma forma unânime e justa.
  • Com o uso da Matriz de Referência a análise dos resultados alcançados pelos alunos é mais facilmente mensurada.

A matriz de referência pode – e deve – ser utilizada por professores e instituições. Junto a ela também se aplica o ensino adaptativo, que possibilita a criação de uma matriz mais direcionada aos interesses dos alunos, a gestão do conhecimento, onde a partir da matriz os professores podem trabalhar melhor as expertises dos estudantes e, consequentemente, otimizar o material a ser trabalhado com as turmas subsequentes. Se neste processo ainda puder contar com o apoio das tecnologias como um todo, o aprendizado ganha um valor agregado ainda maior, e despertará interesse de todos os envolvidos, dos alunos aos professores.

índices educacionais

O que acha de propor esta ferramenta na sua instituição? Sem dúvidas seu trabalho será muito mais otimizado. Faça o teste e sucesso!