Inovação em TI para instituições de ensino: caminhos para colocá-la em prática

25 de novembro de 2020
inovação em TI

Com toda a evolução que permeia nosso mundo, as demandas do TI na educação também estão em constante mudança.

A inovação em TI não é nenhuma novidade, com o perdão do trocadilho. A área da Tecnologia da Informação está direta e essencialmente ligada a evoluções e atualizações constantes, o que não é diferente nas instituições de ensino.

Se esses eram profissionais geralmente associados a questões como corrigir problemas nos e-mails institucionais e garantir a integração entre diferentes plataformas e APIs, hoje sua atuação é bem mais ampla, o que tende a aumentar com o passar do tempo.

Neste cenário, a importância dos profissionais de TI será ainda maior, tendo em vista o papel da tecnologia na educação, que também só tem ganhado força com o passar do tempo, em um movimento que ainda tem bastante a crescer.

Continue conosco para entender como este departamento pode atuar hoje em dia nas instituições de ensino, o que tende a descortinar uma realidade bem promissora para escolas, faculdades, centros universitários, universidades e afins daqui em diante.

Antes disso, porém, vamos conhecer um pouco sobre a realidade do TI nas escolas, faculdades, universidades e afins.

Breve panorama sobre a inovação em TI nas instituições de ensino

inovação em TI

Em suma, podemos dizer que as equipes de Tecnologia da Informação, por vezes vistas como atuantes no backstage da instituição (o que não é negativo, diga-se de passagem), agora estarão cada vez mais no front, intrinsecamente relacionadas com a qualidade de ensino e a satisfação dos alunos.

Inclusive, hoje o tema está tão em alta que é possível encontrar CIOs nas Instituições de Ensino Superior, não Chief Information Officers como os gerentes de TI, mas também Chief Innovation Officers, ou seja, gerentes de inovação, responsáveis por transformar tendências em processos relevantes para as IES.

Porém, ao mesmo tempo em que sua importância aumenta, não podemos deixar de considerar os problemas e dificuldades que o setor enfrenta, como mostra a pesquisa “Information Technology in Higher Education 2016”, feita pela Leadership Board for CIO’s e que aborda apenas o contexto do Ensino Superior.

De acordo com ela, aproximadamente 41% dos CIOs (Chief Information Officers, responsáveis pelo TI) dizem que problemas de segurança e privacidade são suas maiores preocupações, seguidos por preocupações com suas equipes e com questões de financiamento.

Se analisarmos uma versão mais recente, a “Information Technology in Higher Education 2019”, também podemos extrair várias outras informações interessantes sobre a atuação dos profissionais de TI em instituições de ensino.

Em relação às expectativas para o orçamento no próximo ano fiscal, os números chamam atenção, com a maioria acreditando que ele se manterá igual. Confira:

  • 23% esperam uma queda;
  • 36% esperam um aumento;
  • 41% esperam que o orçamento seja o mesmo do ano anterior.

Veja outras informações relevantes:

  • 65% das instituições entrevistadas possuem um CSO (Chief Security Officer, algo como “diretor de segurança”) designado;
  • 75% dos CIOs sentem que está mais difícil gerenciar e proteger a segurança das instituições de ensino atualmente do que era no passado;
  • Aproximadamente 80% dos CIOs completam uma auditoria de segurança anualmente ou a cada dois anos;
  • Mais de 62% dos CIOs possuem planos formais de segurança, sendo que quase 2 em cada 3 atualizam este plano anualmente;
  • Em relação aos últimos cinco anos, em média, 74% dos CIOs aumentaram o percentual de despesas com TI em segurança.

Como as pesquisas mostram, o uso da tecnologia na educação, neste caso especialmente no Ensino Superior, está bem ligado à segurança e privacidade, mas sua atuação ainda vai muito além disso.

Leia também: Escola moderna: como a tecnologia ajuda na educação?

Aplicações práticas em que o papel da tecnologia na educação passa pelo TI

Depois de entender um pouco mais sobre a realidade do TI nas instituições de Ensino Superior, chegou a hora de conhecer algumas potenciais aplicações da tecnologia na educação para além da segurança, as quais podem ser usadas em diferentes estágios educacionais. Confira:

Criação de jogos e softwares para resolução de problemas

inovação em TI

Imagine uma disciplina de Transformações Bioquímicas, em que os alunos são expostos a duas situações: fazer várias experiências para preencher um relatório (1) ou pensar em como modificar as moléculas das células do corpo humano para fazê-lo sobreviver em um cenário em que o oxigênio é escasso (2).

Ambas aplicações são plausíveis com a matéria, mas a segunda parece muito mais prática do que a primeira, não é? Este é um exemplo claro que mostra como o uso da tecnologia na educação é realmente transformador.

Ao invés de recorrer apenas a formulários e relatórios em papel, os alunos podem ser submetidos a situações mais realistas (ainda que hipotéticas), as quais podem ser introduzidas por meio de jogos e softwares. Isso, inclusive, pode até aumentar o engajamento nas aulas online do Ensino Superior.

Uso de Inteligência Artificial e Realidade Aumentada

inovação em TI

A combinação da AI (Artificial Intelligence) e da AR (Augmented Reality) pode transportar os alunos a um número tecnicamente infinito de aplicações, o que é capaz de aumentar significativamente seu aprendizado mesmo sem que se precise gastar mais tempo para isso – muito pelo contrário, na verdade.

O curso “AI-Assisted Immersive Chinese”, oferecido pelo Rensselaer Polytechnic Institute, de Troy, Nova York, é um exemplo vivo que mostra o uso da tecnologia na educação e como ela pode ampliar os horizontes.

Este curso, com duração de seis semanas, foi oferecido para estrear uma nova geração de salas de aula que combinam a AI com outras tecnologias para proporcionar uma experiência linguística riquíssima, similar a um intercâmbio, mas sem precisar tirar os pés do campus.

Uma tela panorâmica de 360º faz com que os usuários se sintam no meio de várias cenas geradas por computador, como um restaurante ou um mercado de rua, similar ao que se encontra na China.

Combinando o reconhecimento de voz, a geração de narrativas e até mesmo o reconhecimento de gestos, os alunos podem interagir naturalmente com tais cenários. A sala, por sua vez, traz feedbacks imediatos em relação à fala e à pronúncia não-nativa do idioma.

Os resultados são notórios: Shirley Ann Jackson, presidente do Rensselaer, afirma que os alunos no laboratório de imersão dominaram o mandarim aproximadamente duas vezes mais rápido do que os que estudaram em salas de aula convencionais.

Inteligência Artificial como assistente de ensino

inovação em TI

Outra aplicação da AI é diretamente no ensino dos alunos, algo que tende a crescer bastante com o passar do tempo, dada a imensa versatilidade dessa tecnologia.

O experimento “Jill Watson”, aplicado na Georgia Tech, o Instituto de Tecnologia da Geórgia, em Atlanta, é um ótimo exemplo de como essa realidade está bem mais perto do que se imagina.

Em 2017, a Georgia Tech iniciou o 3º semestre usando assistentes virtuais de ensino em um curso online, um ano depois que “Jill Watson” foi introduzida na sala de Inteligência Artificial Baseada em Conhecimento (Knowledge Based Artificial Intelligence), pertencente ao programa de graduação Online Master of Science.

“Jill”, originalmente implementada na plataforma Watson, da IBM, consegue responder a perguntas feitas frequentemente sem a ajuda de humanos. Os resultados mostram que ela tem uma personalidade otimista, consciente e resiliente, três qualidades geralmente associadas ao ensino eficaz.

O sucesso também foi comprovado: na primavera de 2016, os alunos do curso online não conheciam sua identidade até que lhes contaram, e um detalhe: isso aconteceu no último dia de aula!

Veja também: Gestão escolar: como otimizar processos na sua escola através do T.I.

O uso da tecnologia na educação só tende a aumentar com o apoio da área de TI

Nós vivemos em um mundo tecnológico e conectado, em que novidades impactam em todas as áreas, e a educação é uma das que mais podem se beneficiar, o que é ótimo para todos os envolvidos, já que é um dos pilares de uma sociedade bem estabelecida.

Os exemplos que vimos anteriormente são apenas algumas das inúmeras aplicações da tecnologia na educação, as quais demandam uma participação ativa do departamento de TI, o que certamente pode levar a instituição a um outro patamar.

Os desafios para o TI educacional ainda existem, de fato, mas o mundo segue um caminho irreversível de conectividade, o que por sua vez aumenta a agilidade para tomadas de decisão, a assertividade das ações e a eficiência dos processos, entre tantas outras vantagens.

Conforme cresce o papel da tecnologia na educação, os profissionais de TI também têm muito a ganhar, já que a demanda por seus serviços será cada vez maior, especialmente por aqueles que investem em atualização e capacitação constante, como a área naturalmente demanda.
A inovação em TI para instituições de ensino não vai parar de crescer, e mesmo que a sua ainda não consiga colocar tudo o que comentamos em prática, inicie sua trajetória neste caminho, como com o auxílio das soluções da Prova Fácil. Este será um passo e tanto rumo à inovação a curto, médio e longo prazo!