5 maneiras de implementar novas tecnologias em sua escola

26 de julho de 2017

Com o avanço das tecnologias educacionais, muitas escolas querem se modernizar mas não sabem por onde começar. Nesse artigo, vamos te ajudar nessa tarefa!

O primeiro passo para a implementação de novas tecnologias em sua escola é a pesquisa. É preciso avaliar as vantagens e desafios de um ambiente de aprendizagem digital e levantar quais tecnologias já fazem parte da rotina da comunidade escolar e quais podem ser adotadas, de acordo com considerações como:

  1. Qual a importância da implementação das novas tecnologias na minha instituição?
  2. Que tipo problemas eu poderei resolver com a adoção de determinada ferramenta?
  3. Tenho infraestrutura adequada para instalar essa tecnologia?
  4. Que tipo de capacitação precisará ser oferecida aos professores?
  5. O custo dessa tecnologia cabe no orçamento da instituição?
  6. Como saber se ela é efetiva?

     Teste

A escolha de uma ferramenta não é definitiva, é preciso haver uma janela de adaptação e avaliação da sua efetividade. Defina períodos de tempo para usar a tecnologia e acompanhe os resultados, observando, por exemplo, se houve melhora entre uma turma que usou a nova tecnologia e outra que não a usou.

Teste também as habilidades dos professores para lidar com as novas tecnologias. É importante capacitá-los, afinal, de nada adianta implementar as mais avançadas ferramentas se  sua condução em sala de aula não favorecer a exploração adequada das funcionalidades disponíveis.

  • Comece simples

Não é preciso começar fazendo uma revolução em todas as áreas da instituição de uma só vez e utilizar tecnologia em todas as aulas, o tempo inteiro. Comece de maneira simples: insira um quadro branco interativo em uma classe, um simulador de realidade em outra…

No entanto, não se pode negligenciar essa escolha, ela é parte fundamental e deve ser muito bem pensada. É essencial que o material escolhido esteja dentro das propostas educacionais da escola e promova experiências que tornem o aprendizado mais dinâmico e contextualizado. As ferramentas digitais devem funcionar como intermédio comunicativo na troca de conhecimentos entre aluno e professor.

Outra questão é a estrutura. Não comece com algo que demande muitas modificações e alto investimento. Pense no que a infraestrutura atual da sua instituição pode comportar e, então, de acordo com os testes, invista em outros hardwares e softwares.

Nós temos uma lista de apps que você pode usar para inovar em sala de aula, confira esse artigo!

  • Avalie

Antes, durante e depois da implementação de novas tecnologias em sua escola, uma processo deve ser constante: a avaliação.

É importante avaliar o custo-benefício das ferramentas, se elas realmente entregam o prometido e se não pode conseguir as mesmas vantagens com outro aplicativo mais barato, por exemplo.

Outra questão essencial é a segurança dos dados. Um software de gestão, por exemplo, deve garantir que os dados dos alunos e pais, como notas, informações de contato e pagamento, entre outras, não vão vazar ou se perder.

E, claro, é importante verificar a experiência do usuário. Será que alunos e professores se adaptaram às ferramentas? Eles estão conseguindo aproveitar todas as potencialidades? Se não, é falta de capacitação ou uma falha do aplicativo?

Tudo isso é essencial para definir quais tecnologias devem ser mantidas e se vale a pena adotar alguma outra ferramenta parecida ou do mesmo desenvolvedor.

  • Consulte os pais, alunos e professores

Alunos e professores são os mais afetados com esse tipo de mudanças e a opinião deles deve ser ouvida.

Os docentes devem estar presentes no processo de definição do escopo do projeto, com metas e definição de turmas contempladas e do planejamento, com a criação de políticas para um uso saudável da tecnologia em sala. E, como mencionado anteriormente, eles devem ser capacitados para a utilização das ferramentas.

Durante os testes e a avaliação, os professores devem ser consultados sobre o real impacto da utilização dos aplicativos no desempenho dos alunos e a praticidade na utilização dos programas.

Já os estudantes devem ser consultados em relação à sua abertura para a utilização de tecnologias em sala de aula, sua familiaridade com os dispositivos propostos e, após a implementação, sua opinião sobre a mudança na dinâmica das aulas e no seu entendimento das disciplinas.

Os pais dos alunos também devem ser consultados e esclarecidos sobre o assunto, uma vez que nem todos estão familiarizados com as vantagens de se utilizar tecnologia em sala de aula. Além disso, pode ser feita uma introdução para os pais auxiliarem seus filhos no uso da tecnologia em casa e acompanhar a mudança no desempenho do estudante antes e depois da introdução das novas ferramentas.

Implementar novas tecnologias na sua escola é relativamente simples. Basta tocar o projeto de maneira crítica e manter o foco no resultado final, que é o aprendizado. 

Quais foram as estratégias utilizadas na sua instituição de ensino? Conte para a gente nos comentários!