Melhores práticas na Educação Híbrida: conheça e aplique

18 de fevereiro de 2021
educação-híbrida-melhores-práticas

A educação híbrida chegou com tudo. Se o tema não era tão comentado assim antes de 2020, a pandemia de COVID-19 colocou nele um grande holofote, e nosso artigo anterior, sobre “O que é Ensino Híbrido? 13 perguntas e respostas!” esclareceu pontos super importantes sobre ele.

Por se mostrar como a melhor solução para lidar com a educação em tempos de pandemia, é natural que a metodologia híbrida esteja sendo tão comentada nas mídias e instituições de ensino. Porém, para que ela traga os resultados esperados, é preciso que sua aplicação se dê da maneira adequada.

Nos acompanhe na leitura para entender mais sobre a importância dessas práticas, quais são algumas delas e como podem fazer toda a diferença na qualidade educacional.

Por que é necessário ter boas práticas para a educação híbrida?

Porque assim como acontece com qualquer metodologia, é preciso que ela seja aplicada mediante um bom planejamento para conseguir prever quais serão os possíveis resultados trazidos, de modo que isso realmente beneficie os estudantes.

O estudo “Blended learning: the new normal and emerging technologies” (Ensino híbrido: o novo normal e as tecnologias emergentes), publicado em 15 de fevereiro de 2018 no periódico International Journal of Educational Technology in Higher Education, aborda bem essa questão.

O estudo abordou vários resultados, implicações e possíveis direções futuras para o ensino híbrido no ensino superior em um mundo em que as tecnologias de informação e comunicação se comunicam cada vez mais umas com as outras.

Seus resultados indicaram que o ensino híbrido mantém ou aumenta o acesso para a maioria dos grupos de alunos e produz melhores taxas de sucesso para os estudantes, sejam eles pertencentes à minoria ou não.

Além disso, há algumas características que os alunos classificaram como importantes, como as seguintes:

  • Clareza no estabelecimento e no progresso em relação aos objetivos do curso;
  • Criação de um ambiente de aprendizagem eficaz;
  • Comunicação eficaz dos instrutores.

Quando esses três elementos de um curso foram satisfeitos, era virtualmente garantido que eles avaliariam suas experiências educacionais como excelentes, independentemente da maioria das outras considerações.

Ao passo que os protocolos do final do curso são somativos, os três componentes citados possuem claras características formativas e todos estão diretamente relacionados a uma pedagogia eficaz.

Em outras palavras, isso mostra que a educação híbrida é positiva, mas precisa ser bem planejada para trazer todo o proveito possível aos alunos, e é justamente aí que entram as melhores práticas.

Leia também: O que é ensino híbrido e porque ele é o caminho para o retorno às aulas presenciais

Quais são as melhores práticas da educação híbrida?

Muitos pontos podem ser destacados aqui, mas alguns dos principais são os seguintes:

1 – Uso de metodologias ativas

Dá-se o nome de metodologias ativas às alternativas para que os estudantes participem ativamente do processo de ensino-aprendizagem. Então, os alunos passam a ser responsáveis por construir o conhecimento e os professores assumem o papel de guias nessa relação.

Como o ambiente de estudo é diferente na educação híbrida, é importante fazer com que o aluno perceba como é fundamental para o seu próprio desenvolvimento.

2 – Possibilitar debates e conversas claras entre corpo docente, corpo discente e equipe de coordenação

Também pelo fato de o ambiente ser diferente, alunos, professores e coordenadores nem sempre compartilham o mesmo espaço físico ao mesmo tempo.

Independentemente disso, é crucial sempre ter uma linha de comunicação à disposição para todos os grupos. Assim, qualquer dúvida, sugestão ou comentário poderá ser feito e recebido rapidamente, o que ajuda a manter o engajamento em todos os envolvidos.

Saiba mais: Como o feedback é essencial para melhorar o aprendizado

3 – Incluir atividades que mudem a estrutura da sala de aula convencional

No artigo sobre 13 perguntas e respostas que mencionamos no início deste conteúdo, nós comentamos sobre os modelos sustentados e os modelos disruptivos, bem propícios para a educação híbrida e que consideram suas especificidades para otimizar o processo de ensino-aprendizagem.

Sugerimos a leitura do artigo para conhecer esses modelos e suas características, já que sua aplicação pode melhorar significativamente a qualidade do ensino híbrido na prática. Você pode acessá-lo clicando aqui.

4 – Adotar práticas com metodologias de rotação

Ainda falando sobre os modelos propícios para a educação híbrida, cabe destacar o “laboratório rotacional”, a “rotação por estações” e a “rotação individual”, em que há um revezamento nas atividades híbridas feitas por diferentes grupos ou indivíduos.

Você pode conferir maiores informações no artigo que mencionamos no item anterior e no início deste conteúdo, mas, em suma, o objetivo é permitir que os estudantes assumam diferentes papéis nas aulas híbridas, o que pode aumentar sua satisfação, participação e engajamento.

5 – Usar boas ferramentas online, quer nas aulas ou nas avaliações

Por último, mas não menos importante, as ferramentas online são indispensáveis no sistema híbrido de educação, que tem na tecnologia um de seus pilares.

De plataformas de videochamadas a redes sociais e apps de comunicação, ter um bom conjunto de ferramentas será tão importante para os alunos quanto ter um estojo com os materiais que eles mais precisam ou uma mochila com todos os livros necessários para aquele dia de aula.

Fica aqui o destaque para o SGP (Sistema de Gestão de Provas), que automatiza e otimiza várias etapas dos processos de avaliação tão importantes na educação híbrida em seu caráter formativo, cumulativo, diagnóstico e somativo.

Leia: Por que o Sistema de Gestão de Provas é a melhor solução para sua instituição de ensino?

Boas práticas na educação híbrida: uma combinação que dá certo

Novas modalidades demandam novos planejamentos, e se a sua instituição aplicar as melhores práticas, será possível comprovar como o ensino híbrido na prática é poderoso e determinante para permitir que os processos de ensino-aprendizagem não sejam interrompidos por fatores externos, como a pandemia.

As soluções da Prova Fácil são ideais para otimizar a educação híbrida em sua instituição de ensino, o que permitirá que essa nova modalidade seja proveitosa para todos os envolvidos e, assim, traga resultados ainda melhores que os esperados. Conheça nossas soluções!