fbpx
  • Posts
  • Materiais
  • Artigos
  • Cases
  • Tutoriais
Posts

Modelo de prova estático x dinâmico: veja o que muda no seu processo avaliativo

Todas as instituições de ensino precisam aplicar provas online ou presenciais. As regras são próprias e variam conforme as demandas internas. Afinal, a definição de critérios próprios é o primeiro passo para o êxito do processo avaliativo.

Nesse contexto, é fundamental lembrar que os testes aplicados precisam fazer parte de um processo contínuo de pesquisa, que envolve interpretação de conhecimentos e emprego de habilidades e atitudes, com o objetivo de aperfeiçoar o aprendizado e o comportamento dos alunos.

É por isso que neste post vamos apresentar os detalhes dos processos avaliativos e como os modelos de provas estático e dinâmico são capazes de contribuir para o melhor desempenho. Confira!

O funcionamento das provas online em IES

Quando o foco da avaliação é a educação a distância (EaD), o procedimento tem um viés autônomo, autodidata, de busca e autoria — competências que formam um indivíduo consciente e crítico.

Nesse contexto, os critérios utilizados pela instituição de ensino superior (IES) são variados. Eles podem ser online, presenciais, por fichamento, trabalho, entre outros. Universidades e faculdades têm liberdade para escolher os melhores métodos, desde que cumpram os três principais indicadores criados pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes):

  • Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade): é realizado com alunos de primeiro e últimos anos das graduações para identificar seu rendimento durante o curso. As notas variam de 0 a 5 e são um dos fatores que compõem o Conceito Preliminar de Curso (CPC);
  • CPC: avalia cada curso de forma separada e usa o Enade como base, além da estrutura física da instituição, satisfação dos estudantes, corpo docente, recursos pedagógicos e outros fatores. As notas variam de 1 a 5, sendo 4 ou 5 consideradas excelentes;
  • Índice Geral de Cursos (IGC): utiliza a nota do CPC para medir a qualidade da IES. É determinado a partir de uma média ponderada de todas as notas obtidas pelos cursos. As notas também variam de 1 a 5.

Diante desse contexto complexo, fica claro que o propósito é assegurar a qualidade do ensino-aprendizagem. Por isso, é fundamental contar com testes que atendam às demandas da IES.

Os modelos de exame do Prova Fácil

As instituições de ensino superior podem escolher diferentes modelos de prova, desde que cumpram as determinações do Ministério da Educação (MEC) em relação aos indicadores já explicitados. Ao escolher um sistema de gestão de provas (SGP), como o Prova Fácil, é preciso verificar as opções disponíveis.

As 3 principais são as que apresentamos a seguir.

Modelo estático

Esse é o formato mais tradicional, ou seja, o professor é quem escolhe as questões e a avaliação é criada a partir dessa determinação. Outra possibilidade é criar as perguntas por meio de uma pesquisa em um banco de questões da instituição, parametrizado  de acordo com a matriz de conteúdo. A busca acontece com a ajuda de filtros, que variam conforme a indexação selecionada.

A vantagem desse modelo é garantir autonomia ao docente, ao mesmo tempo que permite vincular as questões à árvore de conteúdo da IES. Com isso, os coordenadores podem observar os testes e aprovar as perguntas inseridas diretamente na plataforma do Prova Fácil Soluções.

Com o Prova Fácil, por exemplo, é possível vincular um curso ou disciplina a um modelo de prova, alterar a ordem das perguntas, verificar uma prévia etc. Para o professor, é a oportunidade de manter as questões organizadas em um só local, além de contar com correção automática e ter acesso a relatórios especiais, enquanto tem a prova composta da maneira que deseja.

Modelo dinâmico

A diferença desse formato é ser mais adequado para instituições com EaD ou que fazem parte de uma rede e, por isso, precisam manter o padrão de qualidade nas avaliações. A ideia do modelo dinâmico é ter provas geradas automaticamente de acordo com as regras da instituição.

Nesse cenário, o docente pode definir número de questões, nível de dificuldade, inserção apenas de perguntas inéditas, entre outros.. A partir disso, a prova é formada e está pronta para o estudante, sendo que a seleção de questionamentos é totalmente automática – e também pode passar por aprovação até gerar a melhor prova possível..

No processo de criação do exame, é possível configurar grupos de agendamento e determinar se eles terão questões iguais ou diferentes. Por todas essas características, o professor deixa de ter total autonomia sobre a prova, mas há mais padronização dos processos — o que é ideal para aplicações em larga escala.

Folha de respostas

Nesse caso, a prova é gerada fora do Prova Fácil Soluções e a plataforma conta apenas com o gabarito do teste. Diferentes configurações podem ser adotadas, como: definição da disciplina, da dificuldade e do valor.

Mais além, o docente pode inserir as respostas em lote para não ter que realizar o trabalho de forma manual. Para facilitar a correção, o gabarito tem um cabeçalho nominal e código de barra para revisão via scanner.

O benefício da folha de respostas é a agilidade na leitura, que oferece feedbacks mais rápidos para os estudantes. Por consequência, o professor descobre o que é preciso melhorar e quais aspectos devem ser reforçados na aprendizagem para traçar estratégias que visem ao aperfeiçoamento do aluno.

O melhor modelo para sua instituição de ensino

A resposta depende do que sua IES precisa. Qualquer um dos formatos é capaz de atender à importância do processo avaliativo, que consiste na coleta de dados quantitativos e qualitativos para obter resultados que indicam a qualidade do ensino-aprendizagem.

Lembre-se de que o processo avaliativo no Ensino Superior tem 3 funções:

  • diagnóstica;
  • formativa (acompanhamento);
  • somativa (classificação).

Ao aliar esses aspectos, é possível julgar as medidas necessárias para fortalecer o aprendizado do estudante e tomar decisões precisas, que vão se refletir nos indicadores do MEC. Da mesma forma, é alcançada a autonomia, a crítica e a responsabilidade do aluno — objetivos do processo pedagógico.

Quando tratamos especificamente do EaD, a avaliação é uma atividade mais complexa, porque a relação entre professor e aluno é limitada pela tecnologia. Ainda assim, existem diferentes formas de acompanhamento, como projetos, discussões online, relatos e outros.

Ao adotar uma plataforma adequada, você tem acesso a todos os modelos de provas online para sua instituição de ensino. Assim, determina o melhor tipo de processo avaliativo dentro do próprio SGP.

Agora que você entende como funcionam os modelos de prova estático, dinâmico e folha de respostas, que tal compreender melhor como o Prova Fácil Avaliações contribui para esse processo? Confira nosso Ebook e veja o case de outras instituições!

modelos de prova

 

 


Veja mais

Vida de professor

10 dicas para economizar tempo com a correção de prova

Como você faz a correção de provas? Muitos professores respondem essa pergunta dizendo que aplicam as avaliações, pegam a caneta vermelha e fazem a verificação manual. Se esse é seu…

Tecnologia da informação

O que é correção automática de provas?

Como você faz a avaliação dos estudantes da sua instituição de ensino? Qualquer que seja ela, as notas são a base desse processo. Apesar de fatores subjetivos — como os…

VER MAIS POSTAGENS

Pesquisa

MAIS LIDAS

A importância da tecnologia na Educação e como ela impacta na performance​ de alunos e professoresComo evitar cola durante as provas? Veja 4 dicas!Como elaborar provas que realmente ajudam na aprendizagem?Como criar um banco de questões inteligente?Como ter um banco de questões inteligente com o Prova Fácil?O que é banco de questões inteligente e tudo o que ele pode fazer?

As melhores soluções para gerenciar as suas avaliações

SIGA-NOS

ASSUNTOS