Projetos educacionais inovadores no Brasil

4 de dezembro de 2014
projetos educacionais inovadores

Muito se diz sobre a necessidade da educação no Brasil evoluir e, definitivamente, melhorar seus métodos e práticas de ensino. Aqui no blog mesmo, constantemente, apresentamos conteúdos que permeiam por esta temática e, de fato, a educação no Brasil ainda tem muito a crescer, em diversos aspectos. Contudo, sem dúvidas, já existem pessoas preocupadas com isso e, claro, pensadores, pesquisadores, profissionais da área, órgãos estaduais e federais já visando inovações no meio educacional.

O jovem e inovador Eduardo Bontempo é um exemplo de empreendedor que voltou suas pesquisas para a área da educação. Formado em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas e com MBA no Instituto de Tecnologia de Massachusetts – MIT (EUA), ele criou a Geekie Lab, uma plataforma de aprendizagem adaptativa que já foi utilizada por cerca de 2 milhões alunos de mais de 17 mil escolas no Brasil.

Não só pessoas físicas têm feito a diferença: em 2007, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) criou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), responsável por medir a qualidade do ensino oferecido pelas escolas públicas com base na nota da Prova Brasil e dos índices de reprovação. Esse índice foi citado pelo Banco Mundial como um dos grandes destaques na consolidação das avaliações educacionais no Brasil.

Esta necessidade de progredir tem propiciado o surgimento de premiações que buscam incentivar, exatamente, este interesse das pessoas pela pesquisa, pela proposta de novas ações, pela evolução da instituição escola em todos os âmbitos. A Fundação Carlos Chagas (FCC), por exemplo, promove o prêmio Professor Rubens Murillo Marques, que premia profissionais que se destacam nesta área. Já a Microsoft tem o prêmio Educadores Especialistas da América Latina Contam sua História, que tem o objetivo de  reconhecer educadores que utilizam a tecnologia para promover mudanças na sala de aula.

projetos educacionais inovadores

Mais que identificar os percussores das inovações educacionais, é preciso identificar a absorção desta onda de conteúdo, novidades e informações por parte das instituições e, principalmente, por parte dos professores. As pessoas são responsáveis por buscar melhorias para suas áreas de trabalho, e da mesma forma acontece com professores, coordenadores e gestores da educação: eles têm o dever de levar para dentro de sala de aula novas tendências que venham a contribuir para a formação dos alunos.

Como costumamos dizer por aqui, as mudanças nas escolas só acontecem quando os profissionais envolvidos se mostram interessados na mudança. Então, se você se sente parte deste processo de mudança, é hora de começar a se atentar para as novidades que tem chegado ao mercado, para que assim, a mudança aconteça. Quem sabe você não é o próximo nome de destaque no ensino brasileiro?