Psicologia e Aprendizagem Adaptativa: uma parceria de sucesso

5 de dezembro de 2014

A aprendizagem adaptativa é focado no desenvolvimento individual dos alunos, se apoia em uma análise que busca sugerir tanto novos caminhos de aprendizagem como novas formas de ensino mais eficientes. Neste modelo de ensino a preocupação com o coletivo é um reflexo da atenção dada a cada um individualmente. Estas definições são essenciais para entendermos o quanto a psicologia pode trabalhar em conjunto com a aprendizagem adaptativa e, claro, render bons resultados.

A psicologia precisa fazer parte de qualquer ambiente educacional, seja ele voltado para a aprendizagem adaptativa ou não. Isso porque os alunos estão inseridos em um meio onde sofrerão influência tanto na formação pessoal quando profissional. Dentro das instituições de ensino os alunos fazem descobertas, trocam conhecimentos e formam suas personalidades. Logo, é essencial ter um psicólogo por perto para acompanhar este processo.

No caso da aprendizagem adaptativa, antes de tudo, é preciso quebrar paradigmas, principalmente em se tratando do Brasil. Através deste modelo propõe-se um acompanhamento totalmente focado nas necessidades de cada aluno. Atualmente ele ainda é bem tímido, e algumas instituições o têm utilizado para fazer com que provas ou exercícios se adaptem ao estudante conforme este vai avançando na matéria. Se pensarmos desta forma, fica evidente a importância do psicólogo neste processo, afinal é ele quem terá autonomia e expertise para perceber quando as dificuldades de um aluno são por ver obstáculos naturais em determinada matéria ou se é o caso de algo mais profundo e pessoal.

psicologia

Obviamente, este cenário é apenas um exemplo da enorme parceria que a psicologia e a aprendizagem adaptativa podem firmar. Estamos falando de uma mudança muito maior, que envolve tantos outros profissionais e que, de fato, vai propor grandes mudanças para o ensino no Brasil. Se o ensino adaptativo tem seu foco no aluno, o psicólogo é parte estratégica deste modelo e, por isso, é tão importante desenvolver um trabalho em conjunto.

Muitas escolas ainda não podem contar sequer com o papel deste profissional da saúde, então parece ficar ainda mais distante a aplicabilidade do ensino adaptativo nestas instituições. Contudo, estamos falando de uma mudança geral, onde somente se o assunto começar a ser discutido ele poderá se concretizar. Logo, se você é professor, pedagogo, diretor ou mesmo psicólogo, direcione seu olhar para esta temática, tente visualizar as possibilidades e, principalmente, já proponha algumas mudanças cabíveis. Uma coisa podemos afirmar: todos só têm a ganhar com esta parceria forte e promissora.