SIMULADOS E PROVÕES: QUAL É A EFETIVIDADE DELES EM SALA DE AULA?

24 de março de 2015

Dizem que a prática leva à perfeição e isso também pode ser aplicado na sala de aula através dos simulados e provões. Eles podem até ser um pesadelo para muitos alunos, mas são instrumentos importantes para avaliação da aprendizagem e, principalmente, do desempenho em situações semelhantes ao vestibular, nas quais a pressão do relógio pode atrapalhar bastante.

Um dos maiores desafios em vestibulares e concursos é a gestão de tempo. Muitas questões, muitos candidatos em volta com a mesma expectativa, poucas horas para resolver tudo e preencher o gabarito. Fica fácil bater um desespero com todos esses fatores. Ao participar de um simulado ou provão, o aluno pode usar algumas táticas para otimizar seu tempo de prova. Primeiro, deve identificar as questões que considera mais difíceis e longas e deixar para elaborar a resposta depois de resolver as mais fáceis, ganhando assim mais confiança e tranquilidade. Simulados ajudam o estudante a desenvolver esse senso de prioridade para controlar a ansiedade e executar o processo sem atropelos.

Outro fator que corrobora a efetividade da aplicação dessas provas é o constante estímulo ao estudo e revisão de conteúdos. Naturalmente, ao realizar uma prova de vestibular, o conteúdo do ano letivo vigente está mais fresco na memória, mas não é apenas isso que cai no exame. Justamente pela extensa grade curricular e questões, não é possível saber exatamente o que será exigido, mas quanto mais amplo o conhecimento, mais seguro o aluno se sentirá. Uma dica é trabalhar simulados de anos anteriores, nos quais é possível identificar o perfil da banca que analisará as redações, por exemplo, ou como são contextualizadas as disciplinas, o que se valoriza mais em atualidades, entre outros fatores.

Um resultado abaixo da expectativa não é um bicho de sete cabeças. Simulados e provões são um treino mais elevado para que os candidatos tenham uma base mais sólida na hora do vestibular e isso deve ser constantemente lembrado. Nem sempre o conteúdo completo do ano letivo foi dado, portanto, a avaliação do desempenho deve ser feita em cima daquilo que o estudando já teve acesso. O grande objetivo desse tipo de prova é a identificação de pontos fracos no estudo, correção desse desempenho e manutenção da dedicação nas disciplinas que são o ponto forte do aprendizado.