Entenda como os simulados podem ajudar no processo de aprendizagem dos alunos

16 de agosto de 2017

Os simulados podem ser um instrumento muito valioso no processo de aprendizagem dos alunos. Além de os ajudar a fixar os conteúdos aprendidos, são um caminho para que eles entendam como se portar diante de exames que encontrarão não só na escola, mas pelo resto da vida, como o Enem e os concursos públicos.

Preparação psíquica e física para as provas

Um dos principais benefícios desse tipo de exame é o fato de os simulados serem excelentes oportunidades para que os alunos se preparem física e psicologicamente para o “ritual” da realização de uma grande prova.

É o momento de testar o corpo e a mente para ficarem um longo período de tempo dedicado a uma atividade, o que exige muito do emocional e da capacidade de concentração.

Até mesmo saber lidar com a necessidade de manter os membros do corpo por várias horas sentados numa carteira – o que traz um enorme desgaste físico para a pessoa – é um aprendizado a ser considerado.

Por isso é importante que a escola simule, de fato as regras e condições em que o exame oficial será feito: número de horas, número de questões envolvidas e ambiente de resolução da prova.

banco de questões

Fixação do conteúdo

Além do mais, como toda atividade que exige dedicação por parte da mente do estudante, que lida com informações com as quais ele tem trabalhado na sala de aula, os simulados contribuem para a fixação do conteúdo.

É pensando nisso que muitas escolas e redes de educação tem aplicado simulados para alunos mesmo antes de chegarem à fase de preparo para o vestibular e o Enem, como forma de facilitar a fixação do conteúdo por parte dos estudantes.

Exposição à diversidade de conteúdo

Do ponto de vista emocional, um grande diferencial do simulado em relação às provas comuns, é que o estudante precisa aprender a resolver questões de vários conteúdos diferentes num mesmo momento – situação com a qual ele irá se deparar na hora do Enem ou do vestibular.

Esses testes sucessivos fazem com que os alunos aprendam a lidar com esse tipo de situação e reduz a ansiedade e a tensão tão características dos momentos de realização das provas para as quais está se preparando.

Ajuda o estudante a entender seus pontos fracos e fortes

Com os simulados, o aluno vai desenvolvendo estratégias mentais sobre como resolver esses e outros tipos de situação.

É aí que ele vai descobrir, por exemplo, se é mais interessante gastar a energia inicial resolvendo as questões e das áreas do conhecimento que ele tem mais afinidade e considera mais fáceis ou se é melhor usar o início da prova para trabalhar com os temas com os quais ele tem mais dificuldade e o tempo final para resolver aquilo que ele gosta mais.

Dessa maneira, os simulados são ótimas oportunidades para o estudante entender quais são os seus pontos fracos e quais são os seus pontos fortes.

Muitas vezes, ao resolver uma prova específica, o aluno tem facilidade para solucionar problemas, mas ao se deparar com uma série de questões de diversas áreas, as informações podem embaralhar o entendimento.

Para as instituições de ensino, saber como os alunos se comportam diante desse tipo de situação é uma forma de compreensão sobre o quanto têm sido capazes de oferecer uma formação transversal e que desperta a integração entre as diferentes áreas do conhecimento pelos seus estudantes.

Ajuda o estudante compreender o foco das provas

Além do mais, os simulados são uma forma de o estudante descobrir a lógica de funcionamento do exame para o qual está se preparando e evita ser pego de surpresa na hora de realização da prova definitiva.

Diferentes instituições – como o Inep, que aplica o Enem – tendem a cobrar olhares diferenciadas do aluno para um mesmo conteúdo.

Daí a importância de fazer um levantamento das questões que foram utilizadas nas provas antigas e aplicá-las aos alunos para que eles compreendam o tipo de raciocínio e lógica de resolução de questões mais exigidas para a prova.

De posse dos resultados dos simulados, estudantes, professores e instituições de ensino conseguem traçar um programa de reforço de conteúdo específico para as áreas do conhecimento que precisam ser melhor trabalhadas.

como melhorar o desempenho na escola

Periodicidade da aplicação é importante

Especialistas em educação apontam que o ideal é que não se deixe passar muito tempo entre os testes, com os estudantes estabelecendo periodicidade na realização dos simulados.

Para quem estiver se preparando para o Enem ou vestibular, por exemplo, é interessante fazer pelo menos um por mês, no ano da prova. É uma forma de manter o raciocínio ativo para saber lidar com este tipo de situação.

Agora que já sabe mais sobre a importância dos simulados para o processo de aprendizagem dos alunos, leia sobre como fazer provas para alunos do século 21

Você tem  experiências com a aplicação de simulados em sala de aula?  Divida com outro leitores, aqui em baixo, nos comentários: