Síndrome de Burnout: Tecnologias que Ajudam a Evitar o Esgotamento dos Professores

16 de outubro de 2017

Síndrome de Burnout: tecnologias que ajudam a evitar o esgotamento dos professores

Você, que está inserido no ambiente escolar e vive uma rotina intensa, lidando diariamente com os mais diversos tipos de situações: já ouviu falar sobre a Síndrome de Burnout? Sabia que essa síndrome é frequentemente vinculada a professores e afeta cerca de 15% dos docentes?

 

O que é a Síndrome de Burnot?

Esse distúrbio é psíquico e de natureza depressiva, levando à pessoa a um quadro de completo esgotamento psicológico, físico e emocional. Esse esgotamento está, frequentemente, relacionado ao trabalho do portador da síndrome, que, portanto, é também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional.

O termo “burnout”diz respeito, especificamente, ao ambiente de trabalho, e foi criado em 1974, por Herbert Freudenberger psicanalista norte-americano que observou em si mesmo e em outros médicos que trabalhavam com ele um adoecimento decorrente do stress laboral. O distúrbio é comum em profissões que exigem dedicação excessiva e tomam muito tempo da vida da pessoa, como é também o caso dos professores.

 

Quais são as causas e sinais de que alguém possui Burnot?

O principal fator que, a longo prazo, leva à Síndrome é a exposíção frequente a situações estressantes. Somando-se a isso, a necessidade de se envolver emocionalmente com o emprego também potencializa a manifestação desse quadro.

Os sinais podem ser claros e evidentes. Prestar atenção e ter empatia uns com os outros, ter uma preocupação em relação à saúde mental dos profissionais, além de se mostrar disponível para acolhê-los é imprescindível.

Os principais indicativos de que uma pessoa está enfrentando a Síndrome de Burnot são:

  • exaustão e baixa energia, tanto física quanto psicológica.
  • falta de envolvimento e prazer com o trabalho;
  • baixo grau de satisfação pessoal;
  • cansaço e stress contínuos;
  • sono prejudicado e impaciência;
  • necessidade de controle constante.

 

E como tratá-los?

O mais importante é evitar o desenvolvimento da Síndrome de Burnot. É importante que a instituição de ensino tenha uma política de atenção e sensibilidade com seu corpo docente, pois isso cria uma atmosfera mais amigável e aberta na escola.

Uma dica é, por exemplo, instaurar um acompanhamento psicológico para os professores da sua escola. Porém, isso pode não ser viável financeiramente, bem como nem sempre é possível controlar os sintomas e gatilhos.

Por isso, nesse momento, a tecnologia também pode ser uma boa aliada para desafogar a relação dos professores com o trabalho e, portanto, evitar seu esgotamento. Listamos 5 ajudas tecnológicas que você pode adotar agora mesmo. Confira:

 

Este é um aplicativo de meditação guiada que conduz os exercícios com músicas relaxantes e analisa seu humor antes e depois de meditar. Além disso, ele monitora seus batimentos cardíacos e oferece insights para o seu dia.

A meditação, em suas diversas vertentes, alivia o stress e possibilita um “esvaziamento” temporário da mente, promovendo o relaxamento e aumentando a concentração e produtividade nos momentos de trabalho.

 

O Prova Fácil é uma plataforma que otimiza em grande escala o tempo e esforço dos professores, utilizando um sistema de gestão de provas online, que faz a correção automática de questões objetivas. Além disso, o app faz a diagramação das provas e gera estatísticas com os resultados.

 

O dia a dia de um professor nem sempre permite que sejam realizadas atividades de relaxamento, para o corpo com para a mente. Mas, com muito menos tempo do que você imagina, é possível ter momentos de tranquilidade. O app 5 minutos, desenvolvido pela ONG brasileira Mãos Sem Fronteiras, guia uma meditação durante 5 minutos, trazendo leveza entre suas tarefas diárias.

 

Para os professores, uma das funções mais desgastantes pode ser manter a ordem em sala de aula. Para controlar os níveis das conversas e evitar o stress, o Too Noisy faz uma medição do barulho. O professor determina o máximo de decibéis permitido e, caso ele seja atingido, o aplicativo avisa, de forma a retomar o silêncio.

 

O ToDo é uma espécie de agenda, um organizador de tarefas que te ajuda a organizar e distribuir seus compromissos ao longo do dia! Com ele, você não se esquece de nada e monitora rapidamente o que ainda precisa ser feito.

 

Viu só? Esses são apenas alguns dos vários aplicativos que dão uma mãozinha na vida corrida de um professor. Com eles, você se organiza melhor, respira e poupa tempo para se dedicar a outros momentos.

 

Gostou do nosso texto? Deixe a sua opinião nos comentários e fique por dentro de conteúdos tão interessantes quanto esse.