SGP: Tecnologia de educação para Universidades

6 de fevereiro de 2015
tecnologia de educação para universidades

Um dos principais desafios das instituições de ensino superior no Brasil é aumentar sua qualidade de maneira constante, visto que, a cada ano que passa, as notas do Enade (Exame Nacional do Ensino Superior), promovido pelo Ministério da Educação, pegam desprevenidas diversas faculdades e universidades que esperavam ter uma nota maior.

A constante da qualidade pode ser conquistada através de novos hábitos dentro das instituições – como, por exemplo, a adoção da tecnologia para ajudar professores e alunos a potencializar sua participação dentro e fora de sala de aula.

Nessa toada, uma das melhores aquisições que a instituição pode fazer em prol de seu corpo docente é o Sistema de Gestão de Provas, que auxilia professores no pensar, fazer e corrigir avaliações de múltipla escolha. Mesmo que, no Ensino Superior, questões dissertativas sejam mais comuns, as questões de ME atreladas a uma tecnologia de ponta podem ajudar os mestres a entender melhor os anseios e dificuldades de seus alunos.

Como o SGP pode ser usado no Ensino Superior

tecnologia de educação para universidades

O Sistema de Gestão de Provas pode – e deve – ser utilizado por instituições que valorizam o tempo de trabalho e pesquisa de seu corpo docente pois, com ele, os professores têm mais tempo para se dedicar a questões importantes no desenvolvimento de seus alunos.

O SGP contempla banco de questões, diagramação, correção automática, gestão do conhecimento e auditoria e arquivamento de provas, tudo em uma plataforma 100% online, que oferece mais agilidade e segurança tanto aos professores quanto aos alunos.

Com ele, os professores não precisam gastar tempo pensando em desenvolver questões envolver na avaliação, pois podem escolher através do banco, e qual vai ser a ordem de respostas afim de evitar colas, já que o programa também faz a randomização dos itens.

Para completar, o programa, além de gerar as avaliações, também as corrige – e lança as notas automaticamente em um sistema, o que também salva muito tempo de professores que precisam fazer manualmente esse tipo de atividade.

Com o tempo que seria gasto no “trabalho braçal”, os profissionais conseguem definir novas linhas de raciocínio e pesquisa, afim de melhorar constantemente a experiência em sala de aula e, consequentemente, a nota no ENADE.

Gostou dessa novidade? Sugira o SGP para a sua instituição e tenha dias melhores como docente do ensino superior.